Ofertas de Black Friday podem ser golpes virtuais

oferta É preciso redobrar atenção e desconfiar de grandes descontos. ( Foto: Claudinho/JP)

Os consumidores estão esperando a tradicional promoção Black Friday, que será na sexta-feira, dia 23, para economizar um pouco. Mas nessa época, todo o cuidado é pouco, pois os estelionatários ou hackers também estão de olho nas pessoas mais despreocupadas na hora de fechar a venda, principalmente quando utilizam cartões bancários nas compras pela internet. O alerta é do especialista em cibersegurança e diretor de tecnologia da Security4IT, Rodrigo Souza.

“A Black Friday é uma oportunidade para muitos consumidores aproveitarem os descontos na internet, mas eles podem ser iscas para levar os clientes para sites duvidosos ou fraudulentos. Por isso, é importante ficar atento aos riscos e seguir normas de segurança para não ser vítima de golpes”, afirmou o executivo.

Segundo ele, uma pesquisa recente do site ReclameAqui aponta que 72% dos entrevistados pretendem realizar compras durante a Black Friday. O mesmo levantamento mostra ainda que as lojas online são responsáveis por 80% de todas as transações neste período. O especialista em segurança sugere alguns procedimentos simples para evitar riscos, como manter seu sistema operacional e antivírus atualizados: as principais entradas para criminosos são brechas deixadas por sistemas de antivírus antigos ou desatualizados. Se não estiver com todas as atualizações em dia, esses programas não serão eficazes contra ameaças em seu computador ou smartphone.

Outra dica é desconfiar das promoções que chegam pelo WhatsApp: muitas vezes, criminosos copiam páginas de grandes varejistas para atrair consumidores e roubar dados pessoais e de cartões de crédito. Caso receba alguma promoção por meio de aplicativos de mensagens, desconfie. Busque saber se a promoção é legítima e prefira acessá-la pelo navegador, no e-commerce da loja, em vez de clicar diretamente o link enviado (que pode estar infectado ou direcionar para uma página falsa).

É necessário verificar se o site em que você está navegando é seguro: todas as compras online devem ser feitas em sites que possuem um protocolo de segurança e um certificado HTTPS válido. Caso a loja em questão não tenha esse registro, o risco de fraude é maior. O navegador exibe a figura de um cadeado na barra de navegação que indica a idoneidade do site e o protocolo HTTPS garante que suas informações, por exemplo, senhas e números do cartão de crédito permaneçam protegidos.

Busque referências dos sites em que pretende fazer compras: ReclameAqui e Procon (Proteção e Defesa do Consumidor) são boas opções para verificar se a loja em que navegando é, de fato, uma empresa segura. Evite fazer compras em sites desconhecidos ou que apresentam reclamações de consumidores para não cair em fraudes de phishing, utilizadas pelos criminosos para obter informações pessoais, como senhas ou cartão de crédito, CPF e número de contas bancárias.

(Cristiani Azanha)