OMC é uma “catástrofe” e torna quase impossível acordo justo, diz Trump

São Paulo, 26/02/2018 – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira que a Organização Mundial de Comércio (OMC) é uma “catástrofe” e torna “quase impossível” a tarefa de seu governo de buscar acordos comerciais justos. Durante uma reunião com governadores, Trump insistiu na necessidade de buscar acordos “justos e recíprocos” e que os EUA precisam ser “mais inteligentes” nas negociações internacionais.

Trump citou a Índia como exemplo, ao dizer que o país impõe um tributo muito alto sobre compras de carros vindos dos EUA. Ele comentou que o governo indiano já anunciou reduções nessa taxa, mas Trump ainda não considera isso suficiente. O presidente americano disse não culpar os outros líderes internacionais, que cuidam dos interesses de seus países, mas cobrou que os EUA sejam mais duros nesse tipo de negociação. “A culpa é nossa”, comentou sobre a necessidade de uma mudança de postura. Ele citou ainda Canadá e México, com os quais disse que “os EUA perdem um monte de dinheiro”. Os três países atualmente renegociam o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês).

O presidente americano disse que o principal assunto para o encontro com os governadores era a segurança nas escolas, após o ataque a tiros ocorrido neste mês em uma escola da Flórida. “Vamos transformar nosso luto em ação”, afirmou Trump. Ele disse que pretende dificultar o acesso a metralhadoras e ao dispositivo que permite maior velocidade para disparar (bump stocks). “Eu teria confrontado o autor do ataque, mesmo que não tivesse uma arma”, afirmou o presidente americano, “mas fizeram um trabalho ruim”, comentou. Após o episódio, foi revelado que o vice-xerife Scot Peterson chegou à escola durante o tiroteio, mas não entrou no local para confrontar o autor do ataque. Peterson acabou por pedir demissão, após sofrer intensas críticas. Na semana passada, Trump escreveu no Twitter que professores com treinamento poderiam portar armas, para tentar evitar ataques. Ele voltou a defender a ideia hoje.

Trump disse também que é preciso discutir saúde mental. Segundo ele, o autor do ataque na Flórida tinha um histórico de problemas. Ele lembrou que antes nos EUA havia mais instituições de saúde mental e disse que seria preciso rediscutir a volta desse tipo de abrigo, a fim de conter pessoas que possam representar um perigo à sociedade.