,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • 'Arlecchino', de Busoni, e 'Pulcinella', de Stravinski, ganham encenação
  • Triz, a voz grave que canta com a alma
  • C&A lança linha de camisetas sustentáveis

Campeões de verdade
Frederico Mitooka
23/02/2016 16h22
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Estimados leitores, saudações marciais.

Em 2007, perdi a final dos Jogos Abetos do Interior no ponto de ouro após empatar em 9 a 9.

Aquela medalha de prata junto com todas as outras de ouro que eu tinha ganho representando Piracicaba, destoava e me incomodava demais a ponto que cheguei a emagrecer 10 quilos em um mês.

Sabia que precisava tomar uma decisão e foi então que decidi que, se eu não tinha a estrutura para seguir sendo campeão, então eu faria o melhor trabalho para formar campeões.

Com o apoio do meu gestor, comecei em 2008 um trabalho de peneira no Brasil entre jovens para poder formar a melhor equipe que eu tivesse condições.

Foi então, que apareceu aqui em Piracicaba para treinar conosco, um menino sorridente, com cachos no cabelo, um óculos de funkeiro e um dobok que tinha a foto de um senhor com a cidade de Vila Velha-ES ao fundo.

Seu nome, Guilherme Félix - o surfista que era patrocinado por um vereador.

Essa era a minha concepção do rapaz.

E eu demorei quase um ano para saber que aquele senhor da foto não era um patrocinador e sim o motivo dele estar lá treinando conosco para provar que ele poderia ser o melhor do mundo: seu pai.

A partir daquele momento, comecei a observar com outros olhos aquele rapaz que lutava por algo que estava além da medalha.

Com passar do tempo e dedicação integral aos treinos e estudo, aquela expressão sorridente perdeu lugar para uma fisionomia séria e compenetrada.

De cabelo raspado, seguindo a tradição de nossa equipe, aquele surfista capixaba tornou-se um piracicabano exemplo de superação e dedicação, com uma série de vitórias internacionais culminando na medalha de prata do World Grand Prix - evento similar aos Jogos Olímpicos que reúnem os melhores atletas do ranking mundial.

Tudo isso após uma grave lesão que o afastou por oito meses do tatame.

Mas depois a isso, foram ainda muitas medalhas alcançadas levando o nome da cidade a ponto de nos tornarmos uma referência internacional do esporte olímpico e ele, o maior peso-pesado da história do Taekwondo brasileiro.

Mas sem dúvida, o resultado mais expressivo que ele alcançou, foi a simpatia das crianças e jovens dos projetos sociais na qual participa voluntariamente, ensinando da mesma forma e com a mesma paciência que lhe ensinei anteriormente.

E hoje, estamos em reta final de um trabalho que começou a cerca de oito anos.

Tudo caminhando de acordo com o planejado. Faltam somente mais dois combates para carimbar o passaporte e colocar Piracicaba no Rio- 2016.

Se vamos concluir nosso plano, eu não sei. Mas independente do resultado, eu criei um campeão de verdade e Piracicaba ganhou um símbolo de superação, persistência, disciplina e dedicação.

E melhor: um propagador de bons costumes baseados na filosofia do Taekwondo - ser um faixa preta no tatame e na sociedade.


Frederico Mitooka

É mestre em taekwondo.


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar