,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Todos os presidentes que ganharam filmes no País
  • Retrospectiva de Rodrigo Andrade está entre as dicas de exposições da semana
  • Ocimar Versolato morre aos 56 anos em São Paulo

Aberta a lista finalmente
Jaime Leitão
13/04/2017 12h16
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Significativa parcela dos políticos adora a penumbra, a escuridão, não gosta da  transparência. Os caciques dos partidos apostam na lista fechada na próxima eleição, para salvar a própria pele, protegidos pelo escudo do foro privilegiado. Com a lista fechada, os políticos de longa data, figurinhas premiadas e repetidas, vários deles investigados pela Lava-Jato, conseguiriam ser julgados pelo STF, adiando por tempo máximo a condenação, caso haja provas de envolvimento dos mesmos com crimes variados.
 
A lista do ministro Fachin, anteontem revelada, aberta, traz 98 nomes de ministros, senadores, deputados, governadores, que passarão a ser investigados pelo Supremo. Por mais que demore a investigação, deixa esses políticos de barba de molho, ainda mais agora que também o juiz Sérgio Moro retirou o sigilo das gravações dos ex-executivos da Odebrecht, trazendo detalhes sobre a suposta participação dos mesmos em desvios milionários de valores, em conluio com a empresa. É claro que eles terão amplo direito de defesa, as provas serão buscadas para sustentar as delações, mas o clima é de pânico e de paralisia entre os políticos citados. Ainda tentarão, acima das divergências partidárias, criar um esquema milagroso do tipo “Unidos, venceremos”. É improvável que consigam sucesso, ainda mais se a sociedade, nas redes sociais e nas ruas, exibir a sua indignação com força total. É o que se espera.
 
Os políticos, sem foro privilegiado, que não têm mandato, serão investigados em outras instâncias do Judiciário, o que poderá até antecipar alguns vereditos, pelo fato de a agilidade ser maior em instâncias que têm menos processos a julgar do que o STF.
Lula, Dilma e vários outros políticos, denunciados nas delações, serão investigados a partir de agora, e tudo pode acontecer.
 
Todos se dizem inocentes, que fizeram tudo dentro da lei (que lei é essa?) e alguns afirmam que encaram o que está acontecendo com  naturalidade e que confiam na Justiça. A Justiça para todos ou a Justiça para eles, pobres vítimas de denúncias de irresponsáveis?  Até parece que são santos.
 
Nitroglicerina pura. A Caixa de Pandora, que libera todos os males e podres, perdeu a tampa. Não dá mais para fechá-la. Ou a Lava-Jato segue em frente, sem recuar nenhum milímetro, ou o Brasil será tragado pela sanha de homens públicos  da pior espécie que usaram o dinheiro público para o bem deles mesmos e o mal da população, que sofre há muito tempo com tantos atos imorais. A nossa política precisa de uma assepsia geral, uma limpeza profunda, reforma para valer, não reforma superficial, só na fachada. Nunca vivemos um momento de tamanha exposição dos podres cometidos por nossos representantes. Nossos representantes? Longe disso, muito longe.
 

Jaime Leitão

é cronista, poeta, autor teatral e professor de redação


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar