,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Inadimplência do consumidor cresce 5,8%
  • Roubos e furtos caem no primeiro semestre do ano
  • Umidade do ar cai e deixa cidade em estado de atenção

Enem 2017
Paulo Nardino
17/05/2017 06h58
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Foi Publicado em março o edital do Enem 2017, o Exame Nacional do Ensino Médio, que nos últimos anos se tonou a principal porta de acesso para o Ensino superior no País.

O exame que nos últimos anos ganhou notoriedade por fraudes, vazamentos de informações, falta de critério na correção, este ano fez com que o MEC (Ministério Da Educação) tomasse medidas mais eficientes para garantir a lisura do exame.
 
Umas das novidades é a identificação da prova, que nos anos anteriores era dividida por cores, este ano cada pessoa inscrita terá seus dados impressos na prova, medida que para os que estão acostumados a prestar provas em concursos, parece algo básico, mas só depois de 20 anos de ENEM que vemos este sistema de segurança na avaliação ser colocado em pratica.
 
Outra novidade é que o ENEM não servirá mais para dar o certificado de conclusão do ensino médio a alunos que ficaram com pendência no histórico escolar, o que a meu ver é uma medida muito importante, pois este subterfugio vinha colaborando para a defasagem dos alunos nos últimos anos de escola.
 
Mudanças também nos dias da prova, elas deixam de ocorrer em dois dias seguidos (sábado e domingo) e passa a ocorrer em dois domingos. No meu ponto de vista está também é mais uma assertiva dentre as alterações, deve diminuir o número de pessoas que se inscreve e não comparece a prova, uma vez que, cada vez mais os que preiteiam o exame são pessoas que já terminaram o ensino médio e estão trabalhando aos sábados, deve também melhorar o rendimento dos candidatos, que terão uma folga de uma semana de prova a prova.
 
Um dos pontos mais controversos deste ano fica por conta do valor da inscrição que teve um reajuste de 20% aplicado o IPCA (Índice Nacional De Preços ao Consumidor), que fez a taxa de inscrição saltar de R$68 para R$82. Causando revolta nas redes sociais muita pessoa tem criticado o reajuste, o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) autarquia ligado ao MEC, por sua vez tratou de vir a público e em nota disse que “ a arrecadação não cobre nem 1/3 dos custos do ENEM”. Sendo assim acho premeditado tal medida em um momento tão delicado da economia no Brasil, poderia ter se pensado em um contingenciamento para no mínimo buscar manter o valor da taxa congelado, a grande maioria das pessoas que vão fazer o exame são de baixa renda e veem neste momento uma oportunidade de ingressarem em um curso de nível superior, para conseguirem um trabalho uma condição de vida melhor.
 
Apesar do valor da inscrição ser alto este ano, uma medida de bom senso tomada, foi a manutenção da isenção das cobranças a alunos oriundos da rede pública, alunos bolsistas de escolas particulares, pessoas que comprovem carência socioeconômica e quem esteja inserido em algum programa social do governo, o INEP informa que 7,5 milhões de candidatos devem solicitar a isenção.
 
O Enem deve ser valorizado e amplamente divulgado, ele é uma importante ferramenta de mudança social, as inscrições serão feitas exclusivamente pelo site www.mec.gov.br até o dia 19 deste mês.
 
Já as provas ocorrem nos dias 05 e 12 de novembro de 2017. A hora é agora não importa sua idade ou condição social a educação e quem promove as grades transformações em nossas vidas, então estude, se prepare para ter um bom rendimento nesta avaliação, no demais desejo aos futuros candidatos sucesso e uma boa prova. 

Paulo Nardino

È pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular.


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar