,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Regina Volpato volta à TV aberta após 5 anos
  • As herdeiras do mundo da moda
  • Rio perde dois patrimônios de sua cultura

As crenças limitantes que podem estagnar sua carreira
Melissa Oliver
01/06/2017 13h43
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Aristóteles, filósofo grego, dizia o seguinte: nós somos aquilo que fazemos repetidamente, a excelência não é um feito, e sim um hábito.
 
Certa vez, um aluno meu fez uma analogia entre a frase acima e o processo de gestão de carreira, afirmando que se sempre agirmos de acordo com nossos valores e crenças, estaremos mais propensos ao sucesso profissional. Certo? Depende. Depende dos seus valores e crenças.
 
Quando falamos em crenças limitantes, por exemplo, estamos nos referindo a situações vividas que deixaram marcas negativas em nossa história. Essas ‘marcas negativas’ influenciam as decisões e hábitos da sua conduta profissional, podendo prejudicar sua carreira de várias formas.
 
Tomar consciência das suas crenças limitantes já é um bom começo para a excelência profissional. Vejamos algumas:
 
Comparação excessiva — Quando criamos o hábito de nos compararmos às outras pessoas perdemos uma boa oportunidade de desenvolver nossas competências emocionais. É importante que aprendamos desde cedo uma lição valiosa para nossa autoestima: Sempre haverá alguém muito pior e/ou muito melhor do que você. E se o seu público-alvo de comparação estiver nas redes sociais, cuidado! Pois nas redes sociais acontece um mundo paralelo, uma outra dimensão que está muito longe de ser a realidade; lá, todos são felizes, bem sucedidos, bem amados, enfim, um veneno para o observador cuja autoestima está fragilizada.
 
Elogio torna o outro pretensioso — A crença de que expressar emoções nos torna vulneráveis é bastante comum, especialmente no ambiente corporativo. Elogiar então, nem pensar! É lamentável que existam muitos profissionais que pensem assim. O que eles ainda não entenderam é que elogiar outra pessoa faz bem tanto para quem elogia quanto para quem é elogiado. E não precisa ser nada de outro mundo, um simples enaltecimento acerca da pontualidade, responsabilidade ou maneira de agir de outrem já desencadeia um sentimento de bem estar muito poderoso. O nome disso é reconhecimento. 
 
“E na vida a gente tem que entender que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri” — Essa música do Tim Maia é linda, mas não é para ser seguida. Analogias a parte, a crença de que ‘talvez eu não mereça coisas boas’ é uma das mais prejudiciais à carreira. Quando nos conformamos com menos, nos tornamos incapazes de lidar com desafios profissionais e pessoais; e teremos dificuldade em reconhecer as oportunidades que a vida nos apresentar. O primeiro passo para evitar essa armadilha é acreditar que podemos melhorar, sempre. E, para tanto, é preciso empenhar-se em superar a si mesmo diariamente.
 
A superação dessas crenças negativas tem como consequência a maturidade e a autoconfiança. Claro que isso não é tarefa das mais fáceis, mas quem falou que a vida é fácil? Como dizia o escritor Guimarães Rosa: A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.

Melissa Oliver

É Coach de carreira.


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar