,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Regina Volpato volta à TV aberta após 5 anos
  • As herdeiras do mundo da moda
  • Rio perde dois patrimônios de sua cultura

Empreender como alternativa econômica
Sergio Marcus Nogueira Tavares
10/10/2017 01h00
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Com a economia ainda em marcha lenta e com mais de 14 milhões de desempregados no país, quem se encontra nessa situação tem pressa e contas a pagar. Movidos, muitas vezes, pela absoluta falta de opção para o trabalho formal, muitos desses cidadãos se veem diante da opção de empreender. Vender produtos de porta em porta, produzir e comercializar alimentos, prestar serviços na informalidade, são algumas das alternativas que surgem por não exigir maior capacitação nem grande investimento. Essa é forma mais simples de empreender.
 
Numa outra ponta, pessoas qualificadas, com trabalho formal, bom emprego, alguma experiência profissional e de vida, mas que não suportam mais a pressão do ambiente corporativo ou que querem simplesmente mudar de ramo, saindo de trabalhos repetitivos e sedentários para atividades lúdicas (no campo do lazer e entretenimento, por exemplo) são outras formas encontradas para se empreender também.
 
O fato é que, nos últimos anos, o empreendedorismo cresce globalmente em diferentes direções, respondendo à crise estrutural do mercado de trabalho e à busca de realização profissional e de vida, conjugando trabalho e prazer, sempre que possível. É triste perceber a tendência de que nem todos os jovens que se formam encontrarão trabalho no mercado formal. Ou seja, empreender é uma opção econômica que cada vez mais se impõe na sociedade do século XXI.
 
Se o país tem ainda problemas sérios de qualificação profissional em várias áreas, ou seja, a cada ano pessoas se apresentam no mercado para buscar um posto de trabalho e não conseguem por falta de qualificação, este cenário se torna mais complexo se esse mesmo universo de cidadãos tiver de sobreviver pela via do empreendedorismo.
 
O que pretendemos deixar claro, nesse curto espaço, é que não bastam uma boa idéia, entusiasmo e alguns amigos para adquirir seus produtos ou serviços. Empreender é muito mais que isto. Não é fácil auferir recursos por essa via. Se existem alguns bons exemplos de pessoas que se deram bem com o empreendedorismo, é verdade, igualmente, que o caminho é penoso e requer, além de muita dedicação, uma outra capacitação, diferente da que prepara uma pessoa para uma tarefa numa organização já estabelecida.
 
A visão do mercado, a adequada definição do produto, serviço ou negócio a ser explorado, a administração financeira mínima dos recursos necessários e a serem auferidos, os riscos da atividade, enfim, esses são alguns dos pontos a serem observados por quem pretende adentrar nesse campo. Os especialistas resumem tudo isto na necessária definição do plano de negócio do empreendimento.
 
Portanto, sem querer desanimar quem encontra no empreendedorismo uma alternativa de projeto de vida num determinado momento, todo cuidado e capacitação mínima são necessários para que o sonho não se torne um pesadelo. Pode ser uma ótima opção, inovadora e criativa, mas será um outro caminho a ser percorrido, não mais leve do que o do trabalho nas organizações.

Sergio Marcus Nogueira Tavares

É administrador de empresas.


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar