,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Festa de Tupi será neste sábado; festejos de São João começam às 6h
  • Campanha de vacinação contra gripe termina sexta
  • TCE julga irregular contrato do Semae

Como Piracicaba enfrentou a greve dos caminhoneiros?
Da Redação
07/06/2018 13h41
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Em que pesem as dificuldades causadas pela greve dos caminhoneiros, com enorme desabastecimento dos combustíveis, a cidade de Piracicaba funcionou bem. A população, consciente, procurou racionalizar os deslocamentos com seus veículos. Os mais jovens utilizaram bastante do compartilhamento de veículos, os empresários foram mais tolerantes com eventuais atrasos de seus funcionários e cada um, a sua maneira, procurou contornar a crise e encontrar uma solução criativa para amenizar o problema. A população sofreu restrições, teve dificuldades, mas compreendeu a situação e procurou contornar os problemas da melhor maneira.
 
Por outro lado, a Prefeitura, antecipando-se aos eventos limitadores de combustíveis, realizou uma verdadeira operação de “guerra”, com planejamento adequado e participação de muitas secretarias municipais e de servidores públicos.
 
Uma articulação com a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal, a Secretaria Municipal de Transportes Internos permitiu a obtenção de combustível para as ambulâncias, UTI’s móveis e veículos do Corpo de Bombeiros, das polícias, dos agentes de trânsito, merenda escolar e outros veículos de serviços públicos, como ônibus, caminhões coletores de resíduos e de apoio ao serviço de saneamento básico. 
 
Os serviços públicos de saúde funcionaram todos os dias. As UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e a COT (Central de Ortopedia e Traumatologia) trabalharam 24 horas por dia e os hospitais da cidade trabalharam todo o período, com poucas restrições.
 
A rede de educação pública municipal teve todas suas 135 escolas atendendo sem restrições seus mais de 35 mil alunos e dando condições para que as 16 mil mães que deixam suas crianças nas creches municipais pudessem trabalhar e ajudar no sustento de suas famílias. A merenda escolar conseguiu contornar todas as dificuldades e atender toda sua demanda. Os servidores municipais, conscientes de seu papel, se desdobraram para atender os alunos e seus pais. 
 
O Semae levou água para todas as casas, o transporte coletivo funcionou bem, apesar de algumas restrições, a coleta de lixo funcionou todos os dias e houve restrição apenas na coleta Seletiva e na operação Cata Cacareco. As polícias Civil, Militar e Municipal desempenharam bem seus papéis e o Centro Cívico trabalhou na sexta-feira do feriado prolongado.
 
Temos de agradecer a compreensão de todos, as várias sugestões para melhorar a prestação dos serviços públicos, aos servidores públicos municipais pela compreensão e solidariedade à população, que permitiram que a Prefeitura continuasse a cumprir sua função, que é fazer a cidade funcionar bem. Por fim, destacar o papel da imprensa que soube levar as informações, esclarecendo e ajudando a população em um momento bastante delicado, sem alarde, mas com responsabilidade.
 
Barjas Negri, prefeito de Piracicaba

Da redação

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar