OSP recebe João Carlos Martins

maestro Maestro anunciou que esta será sua última apresentação como solista no piano. (Foto: arquivo/JP)

Uma apresentação em que dois maestros atuam como regentes e um dos regentes se reveza como solista. Este é o concerto da OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba), que recebe João Carlos Martins, um dos nomes mais conhecidos da música clássica do Brasil, ao piano e na batuta. A sessão acontece hoje, no Teatro Municipal “Dr. Losso Netto”, às 20h, também sob regência de Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular do centenário conjunto. A entrada é gratuita, porém, os lotes 1 e 2 dos ingressos estão esgotados. Os assentos que eventualmente estiverem vagos antes do concerto, por motivo de desistência, serão ocupados por aqueles que estiverem na fila de espera, formada 30 minutos antes da apresentação. A programação tem apoio cultural do revista Arraso e Jornal de Piracicaba.

Depois de 23 cirurgias na tentativa de recuperar movimentos dos dedos e das mãos, Martins anunciou que este será seu último concerto ao piano. A partir de 2019, ele seguirá com a sua Bachiana Filarmônica apenas na regência. “Não gosto de tratar com piedade os problemas físicos, mas sei das minhas limitações e chegou a hora de parar. Simplesmente respeito o meu passado, o meu presente e vou respeitar o meu futuro”, disse. A declaração foi dada por Martins em Santa Bárbara d’Oeste, onde se apresentou na semana passada.

Para Jamil Maluf, a participação de João Carlos Martins foi pensada como forma de marcar um ano em que o conjunto contou com nomes reconhecidos da música clássica. “É um exemplo raro de superação, cuja história é lembrada em filmes, livros, no enredo da escola de samba Vai-Vai e até no teatro”, destaca Maluf.

O concerto começa sob regência de Jamil Maluf, na suíte orquestral O Quebra-Nozes, de Tchaikovsky, marcada pela atmosfera mágica, de conto de fadas, associada à noite de Natal. A peça foi escrita em 3 movimentos: uma abertura, seis danças no segundo movimento e a famosa Valsa das Flores, no movimento final, conhecida pela virtuosa introdução de harpa. A participação de João Carlos Martins como regente se dá em Valsa nº 2, de Dmitri Shostakovich, composição utilizada pelo cineasta Stanley Kubrick na abertura do icônico filme “De olhos bem fechados”, de 1999.
Jamil Maluf retorna à regência na segunda parte do programa, quando João Carlos Martins assume definitivamente o piano para apresentar Concerto n. 21, de Mozart, que ganhou o sobrenome ‘Elvira Madigan’, após a sua utilização no filme sueco com o mesmo nome, de 1967. Ainda com Martins ao piano, a OSP apresenta o pot-pourri das canções Yesterday, dos Beatles, e Love of My Life, do Queen.

A escolha pelas obras de Tchaikovsky ocorre sempre em momentos especiais, explica Jamil Maluf, que abriu as Temporadas 2018, 2017 e 2016 com as sinfonias de número 6, 4 e 5, respectivamente, além de ter apresentado sinfonia de número 2, em 2016. “Concebi a temporada conjugando qualidade com diversidade. E, para o encerramento, tanto a obra de Tchaikovsky quanto as demais procuram demonstrar a rica diversidade da orquestra, que caminha para o quinto ano de reestruturação”, diz.

APOIO – A realização é das secretarias da Ação Cultural e Turismo (SemacTur) e de Educação. O patrocínio é da Caterpillar, Hyundai, Oji Papéis Especiais e Raízen, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, e o copatricínio do Grupo Pizzinatto e das Indústrias Marrucci. O apoio institucional é da Empem, Oscip Pira 21, Cultura Artística e Rádio Educativa FM.

SERVIÇO – Concerto de encerramento da Temporada 2018 da Orquestra Sinfônica de Piracicaba. Hoje, às 20h, no Teatro Municipal “Dr. Losso Netto” (Av. Independência, 277, Centro). Entrada gratuita. Informações: (19) 3434-2168.

(Da Redação)