Paciente espera cirurgia na COT desde domingo

Falta de informação e demora para a marcação de cirurgia levou a administradora Amanda Berto Canova, 25, a reclamar do atendimento na COT (Central de Ortopedia e Traumatologia). Segundo ela, seu noivo Wellington Augusto Oliveira Giraldi, 25, teve uma fratura no dedo da mão quando jogava futebol e, ao ser atendido na unidade, no último domingo (1º), foi avisado que necessitaria de uma cirurgia, porém, até o momento, não foi informado quando será agendado o procedimento.
 
De acordo com Amanda, informações desencontradas é o que mais preocupa. “A gente fica apreensivo ao ver a situação de dor que meu noivo está passando e ninguém sabe informar quando vai resolver o problema. Desde que ele foi internado, falavam que ele seria operado em 10 dias, depois disseram que era rápido, que em até quatro dias seria marcado a cirurgia, parece até que escondem a informação de nós”, disse Amanda.
 
Na manhã de ontem, Wellington ficou mais preocupado. “Ele foi trocar o curativo e a tala quando viu seu dedo totalmente roxo. Ele ficou preocupado com a situação e eu também. Acredito que ele precisa de uma intervenção logo para resolver o problema. Fiquei sabendo do caso de um senhor que está com problema na coluna aguardando operação desde novembro do ano passado. É muita demora”, reclamou.
 
Por meio de nota, a assessoria da Secretaria da Saúde informou que o paciente citado está sendo avaliado diariamente pelos médicos da COT e medicado, recebendo todo o cuidado necessário. “Atendimento de urgência, que exige leito hospitalar, segue critério de prioridade. Ou seja, os casos mais graves são encaminhados primeiro. Por se tratar de uma fratura mais simples, em relação aos demais pacientes internados no COT no mesmo período, a previsão é que o encaminhamento hospitalar do paciente em questão se dê o mais breve possível, assim que for disponibilizada nova vaga”, traz nota.