Paciente reclama de demora para vaga em hospital

A piracicabana Jhenifer Rayane Santana Nascimento, 22, que reclamou de mau atendimento em dois postos de saúde da cidade, está internada desde anteontem na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Frei Sigrist, na Vila Cristina, enquanto aguarda transferência para um hospital. Ela é portadora da rara síndrome Sturge Weber, que limita movimentos e provoca fortes dores de cabeça. O pai dela reclama da falta de ação em consultas anteriores na rede de saúde piracicabana e teme que o tempo de espera possa agravar o quadro de saúde.
 
Conforme mostrado pelo JP no sábado (17), Jhenifer afirmou que o primeiro caso de mau atendimento teria ocorrido no dia 8, na UPA da Vila Cristina, quando uma enfermeira teria empurrado sua cabeça duas vezes, alegando que a moça estava “de frescura”. Já no dia 14, na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Rezende, um médico demorou para medicá-la, alegando que o problema era “psicológico”. 
 
O pai da paciente, José Carlos de Jesus Santana, reclamou da falta de atenção. Uma carta do neurologista dela, que atestava que a mesma sofria da síndrome, teria sido ignorado pelos médicos das unidades. “Ela está internada na Vila Cristina, perdendo movimento da perna e do braço, esperando vaga nos hospitais e até agora nada. A cada 1h30, 2h ela tem uma crise. Esse médico da Vila Rezende (do dia 14), se ele tivesse pedido exames, garanto que minha filha não estaria perdendo os movimentos”, afirmou Santana. 
 
A síndrome Sturge Weber provoca fortes dores de cabeça e perda de reação, fala e movimento. A pessoa tem dificuldade em deixar os olhos abertos, porém, continua ouvindo. 
 
Jhenifer tinha uma consulta agendada para hoje em um hospital de São Paulo, e outra para amanhã com o seu neurologista em Piracicaba. As duas consultas tiveram que ser canceladas em virtude do seu quadro de saúde. O tempo de espera para uma vaga no hospital preocupa o pai de Jhenifer. “Estamos esperando a vaga, mas falaram que pode demorar até cinco dias. Para a gente isso é muita coisa”, lamentou Santana. 
 
Questionada pelo JP sobre a possível transferência, a assessoria de imprensa da secretaria de Saúde informou apenas que “paciente está sendo medicada e vai passar por consulta com médico especialista”. Em relação ao suposto mau atendimento, a secretaria de Saúde afirma que “no caso da UPA Vila Rezende, a paciente recebeu atendimento médico e foi medicada, sem qualquer outra intercorrência”. Porém, nega que Jhenifer tenha procurando atendimento na Vila Cristina na data informada. “No caso da UPA Vila Cristina, a paciente não foi atendida na referida data”, afirmou a pasta.