Paciente reclama de mau atendimento em PS

A piracicabana Jhenifer Rayane Santana Nascimento, 22, relatou mau atendimento em dois prontos-socorros da cidade. Ela é portadora da síndrome Sturge-Weber, que limita seus movimentos e faz com que tenha fortes dores de cabeça. Em um dos postos, uma enfermeira teria empurrado sua cabeça duas vezes, enquanto no outro um médico demorou para medicá-la por acreditar que o problema era psicológico.
 
A síndrome provoca fortes dores de cabeça e perda de reação, fala e movimento. A pessoa tem dificuldade de abrir os olhos abertos, porém, continua ouvindo. Os problemas de saúde começaram ainda na infância.
 
O primeiro caso de mau atendimento teria ocorrido no dia 8, no pronto-socorro da Vila Cristina, por volta das 11h. Enquanto esperava atendimento, em uma cadeira de rodas, uma enfermeira teria empurrado a cabeça dela duas vezes, alegando que a moça estava “de frescura”. Ela afirma que não conseguiu identificar a enfermeira porque estava em crise, sem conseguir enxergar. 
 
Já no dia 14, por volta das 17h30, na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Rezende, um médico demorou para medicá-la, alegando que o problema era ‘psicológico’. A paciente disse que tinha uma carta de seu neurologista que atestava que ela sofria da síndrome, porém o documento teria sido ignorado pelo médico.
 
Essa não foi a primeira vez que a moradora diz ter sido mau atendida no município. “Foi algo que me marcou demais. Vou correr atrás de fazer uma reclamação, tenho o carimbo do médico que me atendeu”, disse.
Questionada, a prefeitura não enviou resposta até o fechamento desta edição.