Para cada pet, uma ração ideal

hungry dog food bowl mouth

Mariana Requena
mariana.requena@jpjornal.com.br

 

A alimentação é um fator importante para a manutenção da saúde de qualquer animal. Na natureza, por instinto, os animais caçam ou procuram os alimentos necessários para a sua sobrevivência, e o estilo de vida com alto gasto de energia, em grande parte das espécies, evita a obesidade. Em casa, diferente disso, o dono é responsável por balancear a alimentação do pet e garantir que ela tenha todos os nutrientes necessários, sem que isso implique em aumento de peso na balança.

De acordo com a veterinária Mariana Bortolazzo, da clínica Central Vet, a comida do mascote da família deve ser especial, diferente da dos humanos. “A alimentação de forma adequada é indispensável para uma boa saúde e longevidade”, explica. “Evite dar restos de comida, doces e massas para o animal. Caso deseje optar por uma dieta caseira, consulte um médico veterinário para estabelecer uma dieta balanceada”.

A opção por rações facilita que a dieta do pet seja saudável, mas ainda assim o cuidado do dono deve existir. Para escolher a melhor opção é importante atentar para a idade, pois a necessidade de vitaminas varia durante a vida do pet,  porte e peso, além da raça do animal, que pode necessitar de cuidados específicos. Caso o bichinho possua alguma doença, como obesidade, diabetes, alergias ou problemas urinários, a ração deve ser indicada por um médico veterinário, visando impedir maiores complicações no quadro clínico.

FILHOTES E IDOSOS

Assim como para os humanos, a infância e velhice dos animais necessita de atenção especial, mesmo nos alimentos. A alimentação dos filhotes, segundo Mariana, precisa conter alto teor calórico. “Os filhotes exigem rações mais calóricas, pois o gasto energético nesta fase de vida é maior, já que estão em fase de crescimento e necessitam que a dieta inclua componentes específicos capazes de proteger e estimular o sistema imunológico, além de ajudar no crescimento e fortalecimento ósseo”, explica ela.

Já para os animais idosos, a quantidade de calorias deve ser bem menor, pois o animal tende a ter hábitos mais sedentários. “Existem diversas marcas de rações sênior, direcionada em problemas comuns apresentados nesta fase. Os principais diferenciais são os grãos mais aerados, macios e menos consistentes, para ajudar na mastigação e evitar quebra dos dentes, além da adição de substâncias que melhoram as articulações e outras antioxidantes, que ajudam na prevenção de doenças como o câncer”, afirma Mariana.