Pedestres pedem semáforo em cruzamento da Raposo Tavares

De acordo com entrevistados, ponto já registrou vários acidentes de trãnsito. (Crédito: Amanda Vieira/JP)

O cruzamento entre as ruas Giocondo Bandeira e Presidente Rodrigues Alves na avenida Raposo Tavares, no bairro Vila Cristina, tem dado ‘dor de cabeça’ aos moradores, principalmente aos pedestres, na hora de atravessar a rua. O ponto fica na altura do número 1926, próximo ao Crab (Centro de Referência e Atenção Básica) Vila Cristina, escola e pontos comerciais.

Para os moradores, a solução seria a instalação de um semáforo. “Já está com mais de três anos [que a gente pede]. Aqui você não sabe qual é o direito do pedestre e qual é do motorista, porque não tem semáforo”, explica Francisco Feitosa da Silva, aposentado.

A avenida Raposo Tavares e a rua Giocondo Bandeira têm sentido duplo e a Presidente Rodrigues Alves sobe ao dar acesso à avenida.

O comerciante Divaldo Valverde conta ainda que já houve diversos acidentes na via e que acredita ter perdido clientes pela dificuldade na hora de atravessar a rua no cruzamento e chegar até sua quitanda.

Tem acontecido muito acidente aqui, muita batida, moto com carro, com bicicleta e a gente fica preocupado com o que está acontecendo. A gente acaba até perdendo venda porque as pessoas que moram do outro lado têm medo de atravessar porque é muito trânsito”, conta.

Os horários de maior intensidade do trânsito no local, segundo Valverde, é das 6h às 8h e a partir das 16h30, quando coincide também com a travessia de crianças em direção à Escola Municipal Hide Maluf Júnior.

O pessoal que cruza a avenida sente muita dificuldade em atravessar com crianças, senhoras e cadeirantes [e] está pedindo um semáforo aí”, explica Miguel Basílio, comerciante.

A babá Aline Michele de Jesus Valentin, por exemplo, conta que tem dificuldade na hora de atravessar a trabalho e com a mãe. “[A dificuldade] não é só minha, tenho minha mãe também que teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) [e ficou com sequelas]. Aqui precisa de muita melhoria, porque está muito complica do”, pontua.

Questionada sobre a situação do local, a assessoria de imprensa da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), por meio do Departamento de Engenharia, informou que implantou, há pouco tempo, redutores de velocidade próximos ao local. Para os moradores, porém, essa medida ainda não foi suficiente para segurar o trânsito e ajudar os pedestres.

Andressa Mota

[email protected]