Penitenciária Masculina encerra ensino regular no 1º semestre na unidade

Unidade disponibiliza 200 vagas para reclusos. (Divulgação/SAP)

A Penitenciária Masculina de Piracicaba encerrou recentemente o ensino regular na unidade. A atividade foi realizada pelo Centro de Trabalho e Educação que realizou gestão junto à Escola vinculadora Professor Elias de Mello Ayres.

Segundo o diretor da Penitenciária Elcio José Bonsaglia, disse que todos os trabalhos inerentes à educação são realizados de forma a propiciar o bom andamento no período letivo. “Já estamos trabalhando para que no segundo semestre deste exercício para alcançarmos um número maior de estudantes, consequentemente um número maior de formandos”, afirmou o diretor.

Professores e direção da unidade participaram da formatura. (Divulgação/SAP)

Para a realização do ensino ministrado dentro do presídio, a unidade é equipada com um pavilhão escolar com estrutura física de cinco salas de aulas e biblioteca, com um acervo de cinco mil títulos literários. Através de parceria entre a SAP (Secretária de Estado da Administração Penitenciária)e Secretária Estadual da Educação e a escola vinculadora, cuja diretora é Miriam Henrique de Araújo Andrade. Os trabalhos ficam sob responsabilidade da diretora técnica Priscila de Almeida Cunha. São oferecidos aos reclusos 200 vagas no ensino regular (Fundamental e Médio), com aulas nos períodos da matutino e vespertino. As aulas são ministradas por professores da rede pública estadual com a mesma grade curricular das escolas estaduais, tornando possível, para aqueles que alcançam a liberdade antes da conclusão de seus estudos no âmbito penitenciário, continuar seus estudos. Seguindo a política da SAP de oferecer condições para a plena ressocialização e com o incondicional apoio do Judiciário.

Bonsaglia acrescentou que além do ensino regular, a unidade avança em outras frentes ressocializadoras como cursos profissionalizantes, e laborterapia através de empresas instaladas na penitenciária, entre outros projetos que tem por objetivo propiciar aos reclusos a oportunidade de retornarem melhores para o convívio em sociedade quando alcançarem sua liberdade.

Cristiani Azanha

[email protected]