Penitenciária realiza primeira formatura

estudos Reeducandos estudaram dentro do presídio. ( Foto: Amanda Vieira / JP)

Dezessete reeducandos da Penitenciária Masculina receberam, na manhã de ontem, 12 certificados simbólicos de formandos do ensino fundamental e outros cinco do Ensino Médio. Foi a primeira solenidade de formatura realizada no presídio. O diretor da unidade, Élcio Bonsaglia, destacou que a educação, assim como o trabalho são pilares da ressocialização e reinserção de volta à sociedade.

As aulas na unidade são realizadas através da parceria com a escola vinculadora ‘Elias de Mello Ayres‘ e contam com o apoio do juiz corregedor dos presídios Luiz Augusto Barrichello Neto.
Segundo a SAP (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária), devido ao empenho do Centro de Trabalho e Educação, que realizou gestão junto à Escola vinculadora, foi possível aumentar a oferta de 80 vagas para o ensino regular no ano de 2017, que eram realizadas em quatro salas, para 225 vagas em 2018, que passaram a ser ministradas em nove salas dentro da unidade.

“Muitos tiveram a oportunidade de voltar aos estudos dentro da própria unidade. Eles concluíram as aulas devido ao esforço individual de cada um. Eles também são responsáveis pelas escolhas que estão fazendo e que ainda irão realizar. Nosso objetivo é incentivá-los a buscar um novo caminho, com mais oportunidades baseadas na educação e trabalho”, enfatizou Bonságlia. “Agradecemos a ajuda da escola vinculadora que também nos auxiliou nas roupas de formatura, que foi importantes para a valorização de cada um,” afirmou Bonsaglia.

Também participaram da solenidade o diretor do CDP “Nelson Furlan”, Mauricio Arantes Romero Gonçalves e a diretora do CR (Centro de Ressocialização) Feminino “Carlos Sidnes de Souza Cantarelli”, Celeste Maria Varella Abamonte, diretor do Núcleo de Diretoria de Ensino Felipe Calorri, Miriam Andrade, diretora da escola vinculadora, e Larissa Rodrigues da Silva, coordenadora de projetos.

(Cristiani Azanha)