Pequenos comércios são os que mais contratam

Os pequenos estabelecimentos comerciais de Piracicaba lideram a geração de vagas formais no varejo local. Em 2015 e 2016, enquanto o setor eliminou 1.577 empregos celetistas, os estabelecimentos com até quatro colaboradores criaram 940 postos de trabalho. Já em 2017, essas empresas de menor porte foram determinantes para a reação do mercado de trabalho varejista da cidade ao abrir 1.259 vagas. Ou seja, nos últimos três anos foram 2.199 novas vagas. Até fevereiro deste ano, o setor já está com 66 contratações.
 
O levantamento foi feito pela Fecomércio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), a partir de dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego, e apresentado ontem, em reunião da Coordenadoria Sindical Sudeste, junto ao Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista) de Piracicaba para membros de sindicatos da cidade e região.
 
De acordo com Itacir Nozella, presidente do Sincomércio Piracicaba, passado o período de Natal e as liquidações de início de ano, melhor período de vendas para o varejo, “é natural que o setor ajuste o seu quadro de funcionários, como de fato ocorreu em Piracicaba com a eliminação de 506 empregos com carteira assinada no primeiro bimestre de 2018”. Segundo Nozella, vale ressaltar “que nesse mesmo período, os estabelecimentos de pequeno porte criaram 66 vagas”, completou. 
 
 
CORTES—Para o assessor de economia da Fecomércio, Fábi Pina, os estabelecimentos comerciais com até quatro colaboradores sofreram menos com a crise econômica brasileira, principalmente, por terem menor capacidade de subsistir em caso de corte de funcionários. “Além disso, há um aumento no número de micro e pequenas empresas, as quais nasceram como alternativa para antigos trabalhadores celetistas que foram desligados. É importante lembrar que, no Brasil, 98% do comércio varejista tem até 10 empregados, o que representa mais da metade dos empregos do setor e um terço do PIB (Produto Interno Bruto) do varejo nacional.”
 
Entre os pequenos estabelecimentos comerciais, os supermercados foram destaque de 2015 a 2017, com 1.637 vagas abertas, o que representa 72% do total. Outros setores que também chamam a atenção são as lojas de materiais de construção, eletrodomésticos e eletrônicos e autopeças e assessórios para veículos que ficaram positivos nos últimos três anos com 135, 26 e 92 contratações, respectivamente. A retomada do crescimento do setor de bens duráveis, como automóveis e imóveis, beneficia os pequenos comércios.