,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Em meio a seus edifícios históricos, região central ganha nova unidade do Sesc
  • Cinquenta anos depois, as pessoas da sala de jantar
  • Mostra reúne 20 gravuras Goya, que marcam fase obscura do pintor

Trabalho, dedicação e reconhecimento
Da redação
24/11/2016 14h16
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Eleito pelo SD (Solidariedade) com 1.821 votos, o radialista Lair Braga, 62, será um dos 11 novos parlamentares que irão compor a Câmara de Vereadores na gestão 2017-2020. Com o olhar voltado para os problemas da população, ele disse que sua experiência como comunicador o auxilia a entender as dificuldades enfrentadas pelas pessoas e isso o motivará a agir.

Nascido em Olímpia, Braga está em Piracicaba desde 1980. Atualmente, os programas sertanejos que apresenta na rádio Difusora FM têm sempre um comentário ou opinião sobre os acontecimentos da cidade. Ele afirmou que trabalhará nesses quatro anos para retribuir o que Piracicaba já proporcionou a ele, “com trabalho, dedicação e reconhecimento aos votos” obtidos.

24-011-004.jpg

O senhor é radialista há quanto tempo? Sempre atuou em Piracicaba e com programas sertanejos?

Sou jornalista e radialista há 40 anos. Comecei na rádio Difusora de Olímpia, mas meu sonho era atuar em grandes emissoras do país. Para isso tive que fixar residência em São Paulo. Foi tudo muito difícil e sacrificante naquela época, mas meu amor à profissão e meus sonhos ajudaram a amenizar tudo isso. Por volta de 1975, o sindicato dos radialistas só permitia trabalhar em rádio em São Paulo quem tivesse quatro anos de registro em carteira. Consegui um emprego na cabine de controle da Estação Rodoviária de São Paulo, onde anunciava embarque de ônibus, até que um dia surgiu uma oportunidade na Rádio Clube de Santo André. Depois disso fui convidado para trabalhar na Rádio Cultura de Santos, onde atuei também nas Rádios Atlântica e Tribuna. Entrei na Rádio Record e depois me transferi para a Rádio Jovem Pan. Sendo a minha esposa Regina da cidade de Charqueada, acabei vindo para Piracicaba, ficando um ano na Rádio Educadora e depois na Rádio Difusora de Piracicaba, onde estou até hoje. Antes de programas sertanejos, apresentei programas populares e de jornalismo.

Por que o desejo de ser vereador?

Trabalho desde os seis anos de idade. Passei dificuldades junto dos meus pais e irmãos, senti na pele os problemas que a grande população sente. Esses anos de rádio me propiciaram uma aproximação muito grande com a população. Conheço a existência da fome, do desemprego, a falta de creches, os desmandos na saúde, a descrença na classe política, a corrupção e a falta de atenção aos que mais necessitam. Vou lutar contra tudo isso e acredito que posso mudar. Amo Piracicaba de paixão e quero retribuir o que ela já me deu, com trabalho, dedicação e reconhecimento aos votos confiados a mim e que me deram a oportunidade de trabalhar na Câmara Municipal.

Como se sente sendo eleito para ocupar uma cadeira na Câmara?

Em primeiro lugar me sinto agradecido e muito feliz por receber o reconhecimento da população que me elegeu. Pretendo fazer uma excelente gestão, porque sei que meus eleitores esperam muito de mim e não quero decepcioná-los.

24-011-001.jpg

(Foto: Claudinho Coradini/JP)

O senhor já se candidatou quantas outras vezes? Em quais eleições?

Candidatei-me em 2008, 2012 e agora em 2016, obtendo 1.821 votos.

Levando em conta o cenário político e econômico atual, o que pensa sobre poder estar por quatro anos como legislador na cidade?

No cenário político, o povo está cansado da mesmice. Na questão econômica, o momento é difícil, então eu acredito que não teremos grandes obras logo no início da Administração. Tenho que ajudar o prefeito eleito Barjas Negri (PSDB) em projetos de interesse da população e fiscalizar o erário.

Que estratégia usou para essa campanha que foi diferente de outras que participou?

Realmente foi uma campanha diferente e tive que usar a estratégia do “S”: sola de sapato e muita saliva. Trabalhando na área central de nossa cidade, andava a pé pela rua Governador Pedro de Toledo, nas ruas transversais e paralelas. Pegava ônibus e ficava nas proximidades dos terminais, então, era possível conversar com muita gente. Quando eu dizia bom dia ou boa tarde, as pessoas falavam: “Há você é o Lair Braga? Minha mãe te ouve todo dia, meu pai gosta muito de você...”, e coisas assim. Meu contato foi muito forte com as pessoas e seus problemas diários. Foi gratificante. Minha família também me ajudou demais, minha esposa, meus filhos e até mesmo os netos. Contei com a colaboração de um grupo de amigos que me ajudaram, voluntariamente, na divulgação do meu nome e aos quais agradeço imensamente a colaboração. E finalmente utilizei muito as redes sociais e nosso círculo de amizades.

Como o senhor avalia o trabalho de um vereador hoje?

Infelizmente o vereador é limitado em suas atribuições, não pode apresentar projeto que aumente ou diminua a receita do município. Mas se ele atuar juntamente com o prefeito, levando reivindicações justas e necessárias para a população, é possível fazer um bom trabalho.

Quais projetos e ações tem em mente para atuação como vereador?

No meu material de campanha falo da revitalização da área central e horário estendido nas creches, entre outros. Entendo que o centro da cidade anda esquecido. É só andar no comércio e você vai notar que o policiamento deixa a desejar. À noite, a iluminação é precária. A praça central então já não é mais do povo, pois se encontra suja e perigosa. O horário estendido de creches já é uma reivindicação que faço há mais de dez anos e fiquei contente quando o Barjas Negri incluiu no seu plano de governo. Convivo com as mães comerciárias no centro e quando chega por volta das 16h, podemos notar o desespero para pegar seus filhos na escola. Ela sai do trabalho às 18h e a creche fecha às 17h. Queremos achar uma solução para isso, pois deverá beneficiar muitas comerciárias. Ao mesmo tempo não podemos simplesmente achar que as creches devam exercer ou substituir o papel do convívio familiar. Devemos equilibrar isso tudo, com bom senso e coerência, e esse será um dos nossos grandes desafios.

Na última legislatura, o salário dos vereadores e prefeito, para esta próxima, permaneceu congelado. O vencimento dos políticos é sempre uma discussão polêmica. O que o senhor acha do salário atual dos vereadores?

Acho que é um bom salário e o vereador deve honrá-lo e retribuí-lo à população através de muito trabalho e dedicação.

O senhor acha que a proximidade com o público, pelo rádio, contribuiu para sua obtenção de votos?

Sim, não tenha dúvida. Mas não é somente isso. É necessário ter propostas. Tenho uma credibilidade muito grande com meus ouvintes, sou sincero e sempre solidário com os problemas que chegam até mim.

O que pensa da participação popular nas decisões legislativas? Como trabalhar isso?

A participação popular é sempre bem-vinda, pois demonstra ao político o que ela pensa e como reagem nas mais diversas questões, ajudando-o em ações que sanem suas expectativas e necessidades.

Seu gabinete já está montado? Quais critérios o senhor utilizou ou utilizará para escolher sua equipe?

Está sendo montado com critérios técnicos e voltado para a área social.

Acha que o fato de ser da base aliada do prefeito eleito, assim como todos os novos vereadores, pode refletir de alguma forma no seu mandato? O que pensa a respeito?

Penso que todo vereador, sendo da base aliada ou não, deve ser tratado com respeito e lealdade, afinal, nesta relação está o interesse pelo município e não o partidário.

Como pretende desempenhar seu papel de fiscalizar o poder Executivo?

Analisando os projetos da Administração e suas ações e verificando se são de interesse social.

Há alguma área ou setor em que pretende atuar mais?

Durante a campanha, a população reclamava muito da demora de consultas, para marcar cirurgias, falta de vagas em creche e falta de emprego. Pretendo atuar bastante nesse campo.

O que acha que a Câmara pode fazer pela população com 11 vereadores novos?

Trazer novas ideias com propostas que interessem a população. Acredito ter sido boa essa renovação.

No rádio, o senhor é sempre incisivo em alguns comentários. Como deverá trabalhar essa postura agora sendo vereador? O que muda?

Não é somente no rádio. Na vida pessoal sou assim também, mas sou incisivo quando é preciso ser. Se na Câmara for preciso, também saberei ser incisivo. Meus ouvintes e meus eleitores me elegeram por eu ser assim e esperam esse mesmo comportamento.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar