,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Festa de Tupi será neste sábado; festejos de São João começam às 6h
  • Campanha de vacinação contra gripe termina sexta
  • TCE julga irregular contrato do Semae

Liderança de progresso
Natália Marim e Sabrina Franzol
29/05/2018 17h51
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Diretor de Unidade de Negócio da ArcelorMittal em Piracicaba e em Três Lagoas (MS), Luis Augusto de Arruda Penteado é o entrevistado desta seção Persona. A ArcelorMittal Brasil, após recente compra da Votorantim Siderurgia, terá capacidade de produção de aços longos de aproximadamente 5 milhões de toneladas por ano, o que a torna a maior produtora do segmento do Brasil. Penteado nasceu em 17 de março de 1967, em Rio Claro (SP). É filho da professora Mariliana Aparecida Fontes Penteado e do advogado Oscar Luís da Silva Penteado, que fez carreira na área comercial de uma empresa multinacional do segmento automotivo. Tem como irmã mais velha Ana Elisa Arruda Penteado e irmão mais novo, Roberto Antonio de Arruda Penteado. Viveu infância e juventude em Rio Claro, onde estudou até o ensino médio. Em 1985, foi para São Carlos (SP), onde viveu por cinco anos enquanto estudava engenharia mecânica no campus da USP (Universidade de São Paulo). No início dos anos 90, já formado, começou a trabalhar na Dedini Siderúrgica. O trabalho em Piracicaba foi um dos motivos para mudar-se para a cidade, na qual fez especialização em engenharia econômica, pela Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba). Em 1995, casou-se com a fisioterapeuta Adriana Maria Pereira, que também nutria admiração por Piracicaba desde a época em que cursou faculdade na Unimep. Da união dos dois nasceu Bianca Pereira de Arruda Penteado, 16 anos, que atualmente cursa o segundo ano do ensino médio. Nos momentos de lazer, Penteado, que tem mestrado em nanotecnologia e MBA em gestão empresarial, disse à reportagem do <BF>Jornal de Piracicaba<XB> que gosta de praticar esportes como corrida e ciclismo. Em casa, as atividades prediletas são ler e assistir filmes, preferencialmente com a família. O executivo comentou também sobre como a empresa lida com a crise e a respeito da política de responsabilidade social da companhia, que se baseia em três pilares: qualidade, liderança e sustentabilidade, sendo esta pautada nas esferas econômica, ambiental e social.
 
 
Como foi a sua trajetória profissional na ArcelorMittal até chegar ao cargo que ocupa hoje?
 
Concluída a faculdade, comecei a participar de processos seletivos em diversas empresas e acabei sendo aprovado por três delas. Porém, fiz a opção de trabalhar para a Dedini Siderúrgica, que era uma empresa de base, ou seja, propulsora de desenvolvimento. Esta foi uma das razões que balizaram a minha decisão. Além disso, a oportunidade de viver em Piracicaba, cidade que sempre ofereceu boa qualidade de vida, foi também um fator de atração. Fui contratado como engenheiro trainee para atuar na área de produção da usina e, em minha primeira missão, no processo de aprendizagem do sistema produtivo, fui lotado para trabalhar como operador de produção, atuando junto às equipes dos turnos.
 
Na condição de engenheiro recém-formado, não era bem o que esperava, mas ao iniciar o trabalho com estas equipes, a cada dia me surpreendia com a dificuldade que eu encontrava em executar, de maneira correta, algumas atividades, que sempre me pareceram simples, mas ao realizá-las me fizeram enxergar a verdadeira complexidade que, muitas vezes não vemos na ação do outro até passarmos pela mesma situação. Foi um reconhecimento do quão pouco conhecia sobre o negócio e do quanto ainda tinha que aprender. Esta oportunidade foi ímpar e me permitiu conhecer o chão de fábrica da indústria, onde realmente as coisas acontecem. É ali que o aço é fabricado. Depois de um ano e meio na linha de produção, segui carreira nas áreas de qualidade, processos de produção e manutenção e assumi diversos cargos na estrutura da empresa. Ao longo deste processo, atuando na posição engenheiro sênior, participei da expansão e modernização da usina no final dos anos 90 e nos primeiros anos de 2000. Anos estes de grandes desafios, pois toda a usina teve de aprender a trabalhar com novos processos de alto grau de automação. Foi também no ano de 2000 que fui transferido para trabalhar numa usina recém adquirida na cidade mineira de Itaúna. Na ocasião da aquisição, a unidade estava com suas atividades paralisadas devido a um processo de falência. Tinha como responsabilidade contratar todo o efetivo necessário para a gestão e operação da planta e colocá-la novamente em produção. Sem dúvida, foi um desafio único fazer uma empresa que tinha posição tão importante no município de Itaúna voltar a gerar emprego, renda e arrecadação. E após todo este processo de consolidação profissional, assumi pela primeira vez uma posição de gerência em 2006, quando tornei-me responsável pela área de laminação da usina. Foi um momento importante pois você passa a comandar pessoas que até o dia anterior eram seus pares. E a partir daí, mais do que nunca, você precisa separar todas as questões pessoais dos relacionamentos que você tem, as questões profissionais e do trabalho. Permaneci na posição de gerente de laminação até 2013, quando assumi a gerência de manutenção da usina, posição igualmente desafiadora, porém exercida por pouco tempo, pois em janeiro de 2014 fui promovido para diretor de Unidade de Negócio, quando passei a responder pela performance e resultados de toda a usina. Mais recentemente, com a aquisição da Votorantim, em abril deste ano, passei a responder também pela unidade de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul.
 
Qual a capacidade anual de produção de aço da ArcelorMittal Piracicaba atualmente?
 
A ArcelorMittal Usina de Piracicaba tem capacidade de produzir 1 milhão de toneladas de vergalhão, que são as barras de aço destinadas à construção civil. É uma usina que trabalha, basicamente, com sucata de aço, conhecida como “ferro velho”. A usina é uma recicladora deste material e é a maior usina de reciclagem do estado de São Paulo, mas para chegar até este patamar de produção foi um longo caminho. Até o final dos anos 90, a capacidade produtiva da usina estava em torno de 290 mil toneladas de vergalhão por ano. Foram necessários dois ciclos de expansão e modernização da planta para chegarmos ao nível atual de produção. Neste ciclo, novas tecnologias foram adquiridas e implantadas. Tanto para o processo metalúrgico em si, como também nos altos níveis de automação. Isto fez, entre outras coisas, que trabalhássemos na capacitação de nossa equipe. Para este fim, chegamos a instalar dentro da usina uma escola com aulas presenciais, que tinha o objetivo de levar a todos a obterem a formação do segundo grau, como também outras disciplinas específicas direcionadas ao nosso processo. Estes investimentos em equipamentos, tecnologia e pessoas, transformou a planta de Piracicaba em uma das mais produtivas do mundo para fabricação de vergalhão.
 
Quais são os números da ArcelorMittal Piracicaba hoje em tamanho de usina e funcionários. Há projetos de expansão?
 
Atualmente, a planta de Piracicaba emprega em torno de 420 empregados próprios. A capacidade produtiva da empresa hoje está bem alinhada às demandas do mercado para os próximos anos, logo não temos planos de curto ou médio prazo para expansão da capacidade produtiva, porém estamos sempre investindo em novas tecnologias, que nos permitem entregar cada vez mais um produto com melhor qualidade.
 
A Votorantim Siderurgia foi comprada pela ArcelorMittal Brasil, certo? Como foi a negociação disso e o que representa para a empresa?
 
Sim. A ArcelorMittal Brasil anunciou a operação em fevereiro de 2017. O negócio foi aprovado pelo plenário do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) em fevereiro de 2018. Já o início da integração dos negócios do segmento de aços longos da Votorantim Siderurgia no Brasil ocorreu em abril deste ano. Com o closing (fechamento) da operação, as plantas industriais de Barra Mansa (RJ), Resende (RJ) e Três Lagoas (MS), além dos ativos da área florestal localizados em Minas Gerais, passaram a fazer parte do grupo ArcelorMittal. A aquisição é estratégica e trará significativas oportunidades operacionais, industriais e logísticas. Esperam-se ganhos de escala, maior eficiência para o negócio e um portfólio ainda mais completo para os clientes. 
 
Com a aquisição da Votorantim Siderurgia, a ArcelorMittal passa a ser a maior produtora de aços longos do país?
 
Sim. Com a integração, o segmento de aços longos da ArcelorMittal Brasil terá capacidade de aproximadamente 5 milhões de toneladas por ano, tornando-se a maior produtora de aços longos do Brasil. A operação demonstra a confiança da ArcelorMittal na recuperação da economia brasileira, reforçando o papel do país como importante vetor de crescimento do grupo na América Latina.
 
A crise afetou a ArcelorMittal Piracicaba de alguma forma? Como a empresa lidou/lida com situações como esta?
 
A crise que estamos vivendo desde 2015 afetou a economia brasileira de modo geral e em todos os segmentos de negócio. Isto provocou uma redução das nossas vendas e, consequentemente, a produção, que teve queda brusca. Ainda estamos enfrentando momentos bastante desafiadores. A recuperação da economia está se dando de forma muito lenta e a luz amarela ainda não se apagou. Mas o enfrentamento da crise está sendo feito com a participação de todos os nossos empregados. Sempre comunicamos com muita transparência o momento que estamos passando e os caminhos que precisamos percorrer, de modo a valorizar a força e o trabalho de cada um para a geração do resultado final. A consciência desta valorização e a união dos esforços ajudam muito na superação da crise, por isso sempre estamos juntos. 
 
No ano passado, a ArcelorMittal Piracicaba foi agraciada com os prêmios Destaque Industrial, do Ciesp, e Prêmio Proof Not Promises (PNP), da GE Water. Qual a relevância destas premiações diante da competitividade no mercado siderúrgico?
 
São premiações muito relevantes, pois mostram que estamos no caminho certo e o foco que a empresa tem na sustentabilidade do negócio. O mercado siderúrgico mundial tem um excesso de capacidade produtiva, que hoje está em torno de 20% acima da demanda mundial de aço. Com isto, para você sobreviver e se estabelecer no mercado, tem que produzir com muita competência em todas as etapas do negócio. Além disso, qualidade, cumprimento de prazo e atendimento à expectativa do cliente, aliados à busca da inovação dos processos, produtos e serviços, são fatores fundamentais para o sucesso do negócio. Não há espaço para empresas que não trabalham com este rigor, a competição mundial é pesada e tornou-se ainda mais acirrada neste último mês com a aprovação da política de proteção do mercado americano contra importações de aço, conhecida como Section 232, que hoje limita a quantidade de aço que o Brasil e diversos outros países podem exportar aos Estados Unidos.
 
Como é o trabalho da ArcellorMittal Piracicaba no quesito sustentabilidade?
 
A ArcelorMittal acredita que tem um importante papel a desempenhar na construção de um futuro cada vez mais sustentável para a sociedade. Sua política de responsabilidade social se baseia em três pilares: qualidade, liderança e sustentabilidade, sendo esta pautada nas esferas econômica, ambiental e social. A ArcelorMittal Piracicaba fabrica vergalhões para a construção civil a partir de sucata ferrosa, matéria-prima infinitamente reciclável. Em média, a Unidade recicla 850.000 t/ano. A unidade é certificada na ISO 9001 e 14001 e OHSAS 18000 e seu produto, no Rótulo Ecológico da ABNT, comprovando sua atuação ambiental em toda a cadeia produtiva do aço. O Sistema de Gestão Ambiental da empresa valoriza os resíduos do seu processo produtivo, transformando-os em coprodutos, empregados como matéria-prima em outros segmentos, reduzindo a utilização de recursos naturais, e evitando a disposição final em aterros. Um dos coprodutos é a Carepa de Aço, substituta do minério de ferro na sinterização, que também pode ser utilizada na fabricação de materiais abrasivos e de fricção e para o enchimento de peças de contrapeso. Outro é o agregado siderúrgico, empregado como sub-base e na fabricação de artefatos de concreto. Do pó do Forno Elétrico, por sua vez, é extraído o óxido de zinco para a fabricação de ligas. Os programas e projetos socioambientais, culturais e esportivos e de promoção social, de iniciativa da própria unidade e também da Fundação ArcelorMittal, contribuem com o desenvolvimento do município.
 
Quais são os projetos sociais da ArcelorMittal em Piracicaba?
 
<XB>Os projetos da ArcelorMittal são desenvolvidos com investimentos próprios, apoio e fomento de instituições públicas e privadas ou por meio das leis de incentivo à cultura, ao esporte, e em segmentos de educação, saúde e promoção social, prioritariamente com crianças e adolescentes, e têm o propósito de contribuir de maneira expressiva para minimizar as desigualdades e transformar a realidade da comunidade onde está inserida. No segmento da educação, a empresa desenvolve o Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente, que incentiva escolares e filhos de empregados à reflexão e ação de educação ambiental por meio do desenvolvimento de projetos científicos com temas voltados à cidadania, ética e meio ambiente. Já o Ver e Viver, ao detectar e tratar problemas de acuidade visual em crianças do ensino fundamental, contribui com a aprendizagem e rendimento escolar. Além destes, o projeto Vida + Segura vem cumprindo excelente papel na sociedade escolar ao contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de prevenção de acidentes domésticos a partir de ações educativas tratadas de forma lúdica e divertida junto às escolas, por meio de materiais didáticos que abordam diversos riscos de acidentes domésticos como quedas, queimaduras, intoxicações, choques, afogamentos e outros. Aliás, segurança é a prioridade do Grupo ArcelorMittal. O Diversão em Cena, que está na sua 7ª temporada em Piracicaba, tem propiciado ao público infantil e seus familiares tardes muito divertidas, com espetáculos de teatro, música e dança, todos os domingos, de março a novembro. Além do incentivo ao enriquecimento cultural e intelectual da sociedade, tem se configurado com uma excelente condição de inclusão social em Piracicaba e em Iracemápolis. 
 
Outros igualmente importantes compõem a gama de projetos na área de promoção social, como o Cidadãos do Amanhã, Saber Solidário, Pró-Voluntário, Gestação sem Dúvidas e Arte na Comunidade, sempre visando oferecer condições de melhorar a vida das pessoas da comunidade onde atua a empresa, por meio de ações voluntárias, desenvolvimento de projetos por meio da destinação do imposto de renda devido, orientações sobre saúde, empreendedorismo e geração de renda. O segmento esportivo em 2017 contou com o desenvolvimento de dois projetos em duas modalidades, futebol e taekwondo que, além de trazer entretenimento às crianças de Piracicaba, ofereceu a oportunidade da disciplina e saúde por meio do esporte. Em 2017, foram 12 projetos realizados que beneficiaram 33.747 pessoas de Piracicaba. Todos juntos contribuem para o desenvolvimento do município que tão bem acolhe a ArcelorMittal.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar