Pet também precisa fazer exames preventivos

Prevenção ao câncer de mama também serve aos animais; cerca de 45% das cadelas e 30% das gatas desenvolvem algum tipo de tumor. (Fotos: Freepik)

Outubro é marcado como o mês da conscientização do câncer de mama e útero. É o período em que a área da saúde reforça a importância de mulheres e homens fazer o autoexame, o check-up periódico de prevenção e às mulheres, em especial, o alerta sobre a necessidade de visitar o seu ginecologista anualmente e solicitar o papanicolau e a mamografi a. E vale lembrar que essa doença não atinge apenas os humanos, no mundo animal ela também é real.

De acordo com o CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária), o câncer de mama possui alta incidência nos animais de estimação. Cerca de 45% das cadelas e 30% das gatas desenvolvem algum tipo de tumor que, na maioria dos casos, é maligno.

De acordo com a veterinária Mariana Agnese Bortolazzo,assim como os humanos, os pets precisam fazer o exame de toque. “O tutor deve apalpar a região mamaria quando o animal estiver calmo ou relaxado na procura de nódulos, inchaços ou outras anormalidades. Isso é importante para detecção precoce de nódulos, o que permite uma maior efi cácia no tratamento e nas chances de cura”, ressalta.

Mariana também informa que os principais sintomas do câncer são: aumento de dores, inchaço, presença de secreções e/ou caroços na região. Caso alguns desses sintomas sejam identificados é recomendado uma visita ao veterinário. “Nunca espere para ver se o caroço vai aumentar, para então levar ao veterinário. Se identifi car algo, por menor que seja (do tamanho de grão de areia ou grão de arroz), o animal necessitará de uma avaliação do médico veterinário”.

A veterinária ressalta ainda que o início do câncer não gera dor ou qualquer tipo de desconforto, por isso a importância dos exames preventivos.

Tratamento

Após ser diagnosticado o animal passa por uma bateria de exames para checar se a doeça não se espalhou ou se ramifi cou em outras partes do corpo. De maneira geral, os casos são encaminhados para procedimento cirúrgico para a retirada do tumor. Esse tipo de processo, dependendo do quadro clínico pode variar entre a retirada de uma ou até de todas as mamas do animal.

Depois da cirugia uma amostra no caroço é levada para análise para identifi car o grau de agressividade do tumor. Caso seja maligno o acompanhamento com medicamentos quimioterápicos será indicado.

Por isso a atenção com os pets, principalmente os mais idosos, acima de 7 anos, deve ser redobrada e as visitas ao veterinário devem ser feitas ao menos duas vezes por ano.

Larissa Anunciato
[email protected]