Pintor de 54 anos é morto à facadas no Paulista; sobrinho da vítima foi preso apontado como autor do crime

Sobrinho da vítima vai responder por homicídio. (Claudinho Coradini/JP)

Um pintor de 54 anos foi assassinado com quatro facadas dentro de sua própria residência, no bairro Paulista, no domingo (31). O principal suspeito do crime foi apontado como sendo o sobrinho da vítima, um vendedor de 44 anos. Ele fugiu após o assassinato, mas foi localizado pela Guarda Civil, à quatro quarteirões da casa do pintor. As facas usadas no homicídio teriam sido localizadas com o acusado. As circunstâncias do crime serão apuradas posteriormente pela Polícia Civil.

A Guarda Civil recebeu uma denúncia apontando um assassinato que teria ocorrido na rua Marques de Monte Alegre, no bairro Paulista. Quando chegaram ao endereço informado, localizaram um auxiliar geral de 43 anos, que teria informado aos GCs que seu irmão havia acabado de assassinar seu tio, que mora na residência dos fundos.

O suspeito foi abordado pela guarda poucas quadras depois da casa da vítima, na rua Fernando Souza Costa, que caminhava com uma faca nas mãos, enrolada em um pedaço de papel. Ele teria sido abordado, mas não ofereceu resistência. O homem apenas confessou que tinha esfaqueado seu tio, pois tentou se defender, pois alegou que a seu tio (vítima) teria ameaçado-o de morte dias antes.

O acusado disse ainda que na manhã de domingo esteve na casa de seu irmão, que reside na casa da frente para entregar-lhe uma quantia em dinheiro e apenas disse que estava com uma faca nas mãos e acabou atingido o tio seguidas vezes, mas não explicou se tiveram algum desentendimento anterior.

APURAÇÃO

Uma testemunha identificada pela Guarda Civil informou que as casas o pintor teria saído da casa do tio. Ele chegou a falar para seu irmão que mora na casa da frente para que fosse ver seu tio, pois havia sido esfaqueado. O suspeito tinha um ferimento na barriga e estava com uma faca nas mãos. Assim como o tanque de lavar roupas também tinha vestígios de sangue.

Os guardas foram até a casa da vítima e encontraram-na caída no chão ao lado da cama com a barriga para cima e estava apenas de  cueca. Os GCs chegaram a acionar o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas quando os socorristas chegaram o pintor já estava morto. A vítima tinha quatro perfurações, sendo uma deles no braço, a princípio, com característica de defesa, segundo a Polícia Civil.

O acusado foi encaminhado ao Plantão Policial, onde foi autuado em flagrante sob acusação de homicídio qualificado por motivo fútil. Ele ficou na carceragem até ser apresentado à audiência de custódia.

 

Cristiani Azanha