Piscina municipal segue fechada ao público em Piracicaba

agua Até o último edital de junho, nenhuma empresa se interessou em assumir a obra. (Foto: Claudinho Coradini)

Piracicaba registrou ontem temperatura máxima de 35 graus, conforme divulgou o Climatempo Com os dias quentes e o período de férias escolares se aproximando, a procura por piscinas tende a aumentar. Para os usuários de piscina pública da cidade, essa possibilidade está frustrada, uma vez que a piscina olímpica existente no complexo aquático municipal Dr. Samuel de Castro Neves está fechada ao público há meses. Sem conclusão do projeto de reforma de elétrica, hidráulica e estrutural, nem publicação do edital para licitação, a piscina que mede 50 por 25 metros está vazia e sem uso. De acordo com as informações da Selam (Secretaria Municipal de Lazer e Atividades Motoras), no complexo, funcionam normalmente as piscinas adaptada e de biribol.

De acordo com a assessoria de imprensa da pasta, desde que o local apresentou problemas, secretaria elaborou um plano emergencial e nenhum aluno ficou sem aula. Os usuários foram realocados para outros locais, como clubes, instituições, entidades e associações parceiros da Selam existentes no município. No Oratório São Mário, por exemplo, estão sendo atendidos cerca de 300 alunos do PDB (Projeto Desporto de Base) da Selam. O complexo aquático atende em média mil pessoas por dia.

Em setembro, matéria publicada pelo Jornal de Piracicaba informou que é o final daquele mês, por conta do inverno, as aulas seriam realizadas uma vez por semana em piscina aquecida. No entanto, essa unidade apresentou problemas estruturais e muitos pais decidiram não levar os filhos às aulas com medo de que ocorresse algum incidente.

Sobre a piscina adaptada e a de biribol, a prefeitura publicou edital de pregão presencial para reforma. O primeiro foi publicado em 24 de maio, sendo classificado como deserto em 11 de junho. Neste mesmo dia, novo edital foi publicado e no dia 25 de junho o certame também foi classificado como deserto. O último edital foi publicado em 28 de junho e divulgado como deserto no dia 13 de julho. Em nenhuma das publicações houve interessados em assumir as obras. O valor da obra, estipulado pela prefeitura é de R$ 41.189,10.

Em outubro as aulas foram retomadas e devido à situação das piscinas, a Selam informou que mesmo a piscina olímpica em manutenção, nenhum aluno ficaria sem aula e os alunos foram realocados para clubes, instituições, entidades e associações parceiros da Selam.

(Beto Silva )