PM ajuda a salvar garoto com convulsão

Os policiais militares da Ronda Escolar ajudaram a salvar a vida de um menino de um ano e sete meses, que estava com convulsão, na residência da família, no bairro Santa Fé 1, na manhã de ontem. Mãe e filho foram colocados dentro da viatura da PM e seguiram às pressas para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) “Frei Sigrist”, na Vila Cristina. Eles tiveram apoio de mais duas equipes que foram na frente para abrir caminho no trânsito para um deslocamento com mais urgência.
 
Segundo a corporação, durante a manhã, os policiais da Ronda Escolar estavam a caminho da Escola Estadual Dom Eduardo Meladi Koaik, no mesmo bairro, quando foram acionados pelo Copom (Centro de Operações da Polícia) para atender o caso de uma mãe que ligou para o 190 da PM para pedir ajuda, pois o filho tinha supostamente engasgado.
 
Quando os policiais chegaram ao endereço informado, localizaram a mãe com a criança no colo já desfalecida. Eles iniciaram os primeiros socorros e constataram que, na verdade, o menino teve uma convulsão.
 
Como a criança não respondia os estímulos dos policiais, mãe e filho foram colocados na viatura e seguiram às pressas até a unidade de saúde, onde o menino foi atendido pela médica Ana Maria de Santis, e, posteriormente, a criança permaneceu internada em observação. 
 
 
SEGUNDO CASO — Semana passada, os policiais do Canil da Polícia Militar retornaram na casa de um bebê com um pouco mais de 40 dias, no bairro dos Alemães. A equipe registrou com uma foto a lembrança com o pequeno Enrico. No último dia 16, o atendente do Copom conseguiu salvar a vida do bebê, que tinha se engasgado com leite. 
 
Através da ligação telefônica, a mãe da criança, que estava também com a avó, recebeu as instruções de emergência até a chegada da equipe de socorro. Apesar do susto, o bebê fez todos os exames no hospital e já recebeu alta médica. A mãe da criança ligou em desespero através do telefone 190. O bebê tinha engasgado e aparentemente tinha deixado de respirar. O atendente perguntou para a mulher se estava com alguém. Assim que respondeu que estava com a mãe dela, avó materna do bebê, ela foi orientada a passar o telefone para a mãe para que pudesse segurar o filho de bruços.
 
A avó da bebê recebia as instruções para realizar a “Manobra de Heimlich”, método pré-hospitalar de desobstrução das vias aéreas superiores. A mãe realizou os procedimentos e o bebê voltou a respirar novamente.