PM descobre central de distribuição de drogas

PM Pastor belga de malinois,Xacau, ajudou a localizar parte das drogas. ( Foto: Divulgação)

A Polícia Militar descobriu anteontem uma central de distribuição de drogas, que funcionava em uma residência no bairro Santa Rosa. No interior do imóvel, a equipe localizou mais de 1.300 porções de maconha, crack e cocaína, no total de quatro quilos. Parte das drogas foi localizada pelo pastor belga de malinois Xacau, do Canil da PM. Um rapaz de 19 anos foi preso e um adolescente, de 17, foi apreendido acusados por tráfico de drogas.

Segundo a PM, por volta das 15h, os policiais faziam patrulhamento no bairro, quando desconfiaram do rapaz que estava na frente da casa. Ele teria demonstrado nervosismo após perceber a aproximação dos policiais quando teria arremessado uma sacola para dentro da casa. O adolescente, que estava no interior da residência, tentou escapar pelos fundos, mas foi alcançado pelos policiais. Na garagem, os policiais localizaram 56 porções de maconha.

Os policiais teriam usado o cão para ajudar a vasculhar a casa a procura de entorpecentes. Xacau localizou no quarto do adolescente um estojo com 173 pedras de crack e 53 pinos de cocaína. Depois, o cão farejador localizou uma sacola em com um microcelular, que possivelmente seria entregue em algum presídio, além de mais três invólucros com cocaína embalados de forma arredondada, tipicamente para serem introduzidos no corpo, balança de precisão, peneira, faca e 465 pinos vazios.

O cão ainda identificou, no quarto dos fundos, mais entorpecentes, sendo duas sacolas plásticas, uma contendo quatro tijolos de maconha e um aparelho celular Samsung, em outra contendo mais nove pedaços de maconha, 93 trouxinhas de maconha, 341 pinos de cocaína, 280 porções de cocaína, 378 pedras de crack e diversas embalagens de plástico.
Os dois suspeitos foram conduzidos ao 1º Distrito Policial, onde o delegado decidiu pela prisão do maior por tráfico e associação. O adolescente também ficou custodiado até ser apresentado a Vara da Infância e Juventude que vai decidir se ele será enviado para a Fundação Casa ou liberado.

(Cristiani Azanha)