Poemas de Fernando Pessoa são encenados na peça “Partir”

Romualdo é quem dirige e interpreta os poemas (Foto: Arquivo/JP) Romualdo é quem dirige e interpreta os poemas (Foto: Arquivo/JP)

A Cia. Roma Produções Artísticas apresenta o espetáculo teatral “Partir”, às sextas-feiras, dias 08, 15, 22 e 29, às 20h, no Ponto de Cultura Garapa. A apresentação reúne poemas do escritor Fernando Pessoa, um dos mais importantes escritores portugueses. Os ingressos custam R$ 20, com entrada inteira, ou R$ 10, para compra antecipada, e podem ser adquiridos através do site.

O enredo, que contém 18 poemas e é apresentado em solo, acompanha um homem, interpretado por Romualdo Sarcedo, que arruma suas malas, prestes a sair para uma viagem. O personagem adia sua partida o quanto pode, relembrando poemas de Fernando Pessoa que retratam seu próprio estado emocional, perpassando pela euforia, decepção, pelo pessimismo, o temor do desconhecido e as angustias da busca de um sentido para a existência.

Sarcedo, que também é roteirista do espetáculo, considera que o trabalho é uma necessidade própria. “É a necessidade de trazer a poesia, muitas vezes esquecida nos livros em algum canto da velha estante, para o centro da reflexão, da sensibilização e do contato humano”, afirma. “É também a necessidade de propor um momento de desaceleração, de um olhar mais apurado para dentro de nós mesmos e para a vida que nos rodeia, isso por meio da realização de um exercício cênico num momento intimista, buscando incessantemente preservar e elevar o humano que há em nós”.

POETA

Fernando António Nogueira Pessoa, expoente do modernismo português, era um famoso poeta que deixou um forte legado de poesias e poemas que retratavam temas diversificados, geralmente divididos entre seus heterônimos, ou seja, autores fictícios que ele mesmo criou e que produziam obras com características e personalidades diferentes.

Os mais importantes heterônimos de Pessoa são Ricardo Reis, com linguagem culta, precisa e estilo neoclássico; Álvaro de Campos, face mais ligada ao modernismo e ao futurismo; e Alberto Caeiro, que defendia a simplicidade da vida, em ambiente bucólico e com ligação à natureza.

SERVIÇO

Espetáculo “Partir”, da Cia. Roma Produções Artísticas. Sextas-feiras (08, 15, 22 e 29/03), às 20h, no Ponto de Cultura Garapa – Rua Dom Pedro II, nº 1313, no Centro.

Mariana Requena