Polícia apura homicídio por atropelamento em estrada

Caso será apurado pela Delegacia de Investigações. (Arquivo/Jp)

A Polícia Civil apura um homicídio em uma estrada do bairro Monte Branco, na noite de anteontem. A principal hipótese é de que a vítima foi morta em decorrência de um atropelamento. Um Fiat Uno com danos frontais, possivelmente causados em decorrência da colisão com a vítima, foi localizado a dez quilômetros do local, onde o corpo foi encontrado. Até o fechamento desta edição, a vítima continuava sem identificação no IML (Instituto Médico Legal). O caso será apurado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais).

Segundo informações do boletim de ocorrência, por volta das 20h, os guardas civis realizam fiscalização de rotina, quando encontraram o cadáver. Tratava-se de um homem negro, com cerca de 1,75 metro e estava vários hematomas pelo corpo, principalmente nas regiões das pernas, braços e cabeça.

Alguns moradores daquela região teriam informado aos patrulheiros que durante a noite ouviram cinco disparos de arma de fogo. Inicialmente, os guardas suspeitaram que a vítima tinha sido morta à tiros, mas a perícia do IC (Instituto de Criminalística) não constatou sinais de perfurações no corpo. Apurações preliminares dos peritos criminais, apontam que as escoriações provavelmente foram causadas em decorrência do atropelamento.

FURTO – Após terminarem os trabalhos dos peritos criminais, acompanhados da GC e Polícia Militar, seguiram até a rodovia Piracicaba-Anhumas, onde o Uno foi localizado.
Eles conseguiram localizar a proprietária do carro, que teria informado que o veículo era usado por sua filha. No entanto, a jovem alegou que o carro tinha sido deixado em um mecânico pelo seu namorado e foi furtado no mesmo dia, mas eles não registraram a ocorrência.

 

(Cristiani Azanha)