Polícia Civil realiza reconstituição de homicídio no bairro Cidade Alta

De acordo com o responsável pela DIG, "não há dúvida sobre a autoria do crime" (Foto: Claudinho Coradini/JP) De acordo com o responsável pela DIG, “não há dúvida sobre a autoria do crime” (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Polícia Civil realizou nesta quinta-feira (25), a reconstituição do assassinato de um homem que 37 anos com golpes de faca, no bairro Cidade Alta. O crime ocorreu no dia 16 de março de 2019. A reconstituição contou com a participação do principal suspeito do crime, que teria confirmado alguns pontos sobre seu depoimento. Ele teria informado à polícia, que agiu por ciúmes, após ter flagrado sua companheira conversando com a vítima, na esquina de um bar. A mulher, que não teria envolvimento com o homicídio também acompanhou a reconstituição.

As atividades foram coordenadas pelo delegado Vagner Rogério Romano, que está respondendo pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e realizadas pelos peritos do IC (Instituto de Criminalística). Os trabalhos começaram na esquina de um bar, na rua Moraes Barros, onde o autor do crime teria surpreendido sua amásia conversando com a vítima.

“A reconstituição começou no local da abordagem do investigado. Durante seu depoimento, ele afirmou que agiu, motivado por ciúmes. Depois seguimos para até as imediações de um córrego, às margens da avenida 31 de março, onde o investigado teria afirmado que jogou a faca usada no crime. No entanto, o objeto não foi localizado”, disse o delegado.

Para Romano, a reconstituição foi importante para definir alguns pontos. “Quisemos confirmar algumas questões relacionadas sobre o crime. Se foi premeditado ou não, se deu recurso de defesa à vítima, ou seja, algumas situações qualificadoras para a participação do investigado, que podem aumentar sua pena, em uma eventual condenação. Sobre a autoria do crime, não nos resta dúvida”, enfatizou o delegado.

O inquérito policial ainda está em andamento na DIG. “Vamos aguardar o resultado dos laudos para dar prosseguimento nas investigações”, disse Romano.

O CASO

O homicídio aconteceu na madrugada do dia 16 de março de 2019. Na ocasião, a Guarda Civil foi acionada para atender inicialmente um caso de acidente trânsito, pois o motorista de uma picape parou após subir em uma calçada. Ao chegarem ao local informado surpreenderam a vítima que estava caída ao lado do carro e estava com vários ferimentos, provocados por golpes de faca, um deles foi profundo no pescoço.

Os guardas conseguiram localizar um aparelho celular desbloqueado que estava ao lado do corpo da vítima, que constava uma mensagem marcando o encontro com uma mulher aos 30 minutos da madrugada. Os patrulheiros também localizaram um cartão da vítima com manchas de sangue em frente da casa da mulher com quem havia marcado um encontro.

A investigação sobre o caso passou a ser apurada pela DIG que acabou confirmando que o crime teria sido motivado por ciúmes. A vítima teria sido atingida próximo ao seu veículo e depois de cair, foi esfaqueada outras vezes, uma delas bem profunda no pescoço. Após o suspeito sair, a vítima entrou no veículo e provavelmente tentou chegar até a algum hospital, mas não conseguiu. Sua picape parou após subir em uma calçada. O corpo da vítima foi localizado pelos agentes caído ao lado da porta do motorista.

Cristiani Azanha