Polícia Militar descobre desmanche no bairro Guamium

A Polícia Militar descobriu anteontem um desmanche na residência de um faturista de 44 anos, no bairro Guamium. Quatro veículos e duas motocicletas, possivelmente roubados ou furtados, foram apreendidos. Na casa dele, os policiais também localizaram uma espingarda calibre 28 com numeração raspada.
 
De acordo com a corporação, por volta das 17h, uma equipe fazia patrulhamento de rotina pela avenida Ribeirão Preto, quando um pedestre parou os policiais e afirmou que uma residência, nas imediações, era usada para desmanchar veículos. Os policiais foram até o endereço informado pelo denunciante e localizou o faturista na entrada do imóvel. Ele teria permitido a entrada da equipe na casa, segundo o boletim de ocorrência.
 
Os PMs encontraram na garagem um Santana, uma caminhonete, uma Parati, além de outro veículo de modelo antigo sem motor e numeração de chassi. Foram realizadas pesquisas sobre os demais veículos, mas a polícia não confirmou registros de furtos ou roubos.
 
Os peritos do IC (Instituto de Criminalística) fizeram o levantamento preliminar do local e constataram que há indícios claros de que o imóvel era usado como desmanche, pois foram encontrados vários rádios automotivos no interior de um dos veículos. Eles consideraram que seria necessário um exame complementar para confirmar se tinham origem ilícita. De acordo com os policiais, uma motocicleta Honda XRE tinha registro de furto no dia 6 de janeiro de 2017.
 
Questionado sobre a moto, ele alegou que tinha adquirido em um leilão e depois afirmou que comprou de uma entidade por R$ 800, mas não informou quem seria o antigo proprietário. Os policiais também encontraram uma arma que estavam sob o colchão da cama da mãe dele. A espingarda estava com a numeração raspada.
 
O homem foi encaminhado ao plantão policial, onde foi autuado em flagrante sob as acusações de receptação e posse de arma. O acusado disse que vai se manifestar somente em juízo.
 
Além de manter a prisão em flagrante, o delegado Alex Willians Adami também solicitou à Justiça o mandado de prisão preventiva, pois considerou a necessidade para aplicação da lei penal. Posteriormente, o acusado foi encaminhado para a carceragem anexa ao plantão.