Polícia Militar retoma Operação “São Paulo Mais Seguro”

Operação termina somente na madrugada de sábado. (Divulgação/PM)

Os policiais militares do  10º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior) de Sumaré participaram na sexta-feira (05), desde às 5h da Operação “São Paulo Mais Seguro”, em todo o Estado de São Paulo, com a finalidade de garantir a continuidade da redução dos indicadores criminais, aumentando a presença ostensiva para melhorar a percepção de segurança das pessoas e combater o crime. As ações especiais não têm hora para se encerrar.

A operação contará com a mobilização de 19.672 policiais militares, com o emprego de mais de 8 mil viaturas e 11 helicópteros, distribuídos em 2.295 pontos. As equipes estarão em locais estratégicos, apontados pelo serviço de inteligência da PM, para sufocar possíveis ações de criminosos.

 

Pontos de fiscalização foram realizados na região. (Divulgação/PM)

Os pontos de bloqueio foram realizados nas cidades de Sumaré, Nova Odessa, Monte Mor e Hortolândia, que são atendidas pelo Batalhão. As atividades deverão ser encerradas na madrugada deste sábado (06). O balanço da operação deverá ser divulgado pela corporação na segunda-feira (08).

A “Operação São Paulo Mais Seguro” foi realizada em todo o Estado de São Paulo, com a finalidade de garantir a continuidade da redução dos indicadores criminais, aumentando a presença ostensiva para melhorar a percepção de segurança das pessoas e combater o crime. As ações especiais não tinham hora para serem encerradas. A ação iniciada na terça-feira é a quinta do tipo apenas neste ano. “Em caso de emergência, acione o Policial Militar mais próxima ou ligue no telefone de emergência 190. Polícia Militar, a Força Pública de São Paulo”, concluiu a corporação em nota.

A primeira edição da operação estadual aconteceu nos dias 2 e 3 de janeiro de 2018 e 18.415 policiais militares, em conjunto com Polícia Rodoviária Federal e contou com 9.211 viaturas, distribuídas em 163 pontos de rodovias, com 2.569 blitze no total, entre marginais e acessos às rodovias estaduais e federais de São Paulo.

 

Cristiani Azanha