Polícia prende no Paraná acusado de latrocínio

Um dos acusados de participar do assassinato do operador de caixa Luis Fernando Moura, 30, foi preso ontem de manhã, em Jandaia do Sul (Paraná). O município fica a 600 quilômetros de Piracicaba. A vítima foi estrangulada até a morte e o corpo abandonado em um matagal próximo ao bairro Santa Rosa, na sexta-feira passada (16). Moura tinha ferimentos no rosto e um cadarço amarrado no pescoço. A investigação foi conduzida pelos policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes), que chegaram até Anderson Samuel de Oliveira. 
 
O mentor do crime apontado pela Polícia Civil foi Jordan Rafael Braz de Arruda, que está com o mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça. Os dois autores têm 19 anos. O caso foi registrado como o primeiro latrocínio (roubo seguido de morte) registrado em Piracicaba neste ano.
 
De acordo com a investigação, os policiais descobriram que Arruda tinha namorada, mas eventualmente fazia programas com a vítima. “Ele recebia de R$ 100 a R$ 150 cada programa, mas recentemente descobriu que a vítima tinha uma quantia em dinheiro, devido à uma rescisão trabalhista. O investigado teria atraído a vítima para mais um programa, mas armou uma emboscada com o comparsa (Oliveira)”, segundo um dos policiais que participou da investigação.
 
Ainda segundo a polícia, Arruda teria apertado o pescoço do rapaz até matá-lo. A Polícia Civil está divulgando a foto dele, pois já está com o mandado de prisão expedido pela Justiça. Quem tiver alguma informação sobre a localização do suspeito pode entrar em contato com os policiais civis através dos telefones (19) 3421-6169 ou 197. Não é preciso se identificar.
 
 
CRIME — A vítima estava desaparecida desde a última quarta-feira (14). O veículo Gol, utilizado pela vítima, foi localizado pela Polícia Militar. Um denunciante entrou em contato com a corporação às 3h15 da madrugada de sábado (17), informando que um carro em chamas estava na Rua Dalton Henrique Garcia. Quando a equipe chegou, o veículo já estava totalmente queimado. Como o carro estava sem as placas, os policiais identificaram o proprietário através da numeração do chassi. 
 
Os policiais encontraram apenas um boné que estava ao lado do banco do motorista. O carro da vítima foi encaminhado ao pátio. Familiares relataram à polícia que a vítima tinha recebido sua rescisão no dia em que desapareceu e iria encontrar-se com os amigos no shopping da cidade para comemorar. 
 
O inquérito policial sobre o latrocínio está sendo conduzido pelo delegado Demétrios Gondin Coelho, titular da delegacia especializada. Segundo Coelho, o detido afirmou que tinha a intenção de roubar a vítima, mas a idéia de matá-la partiu do comparsa, que está foragido. Não há informação da quantia roubada da vítima.