Prefeitura derruba apenas parte do muro do Sta. Rita

prefeitura Para moradores, sentença está sendo descumprida. ( Foto: Claudinho Coradini /JP)

A menos de dez dias para o encerramento do prazo estabelecido pelo juiz de direito Felippe Rosa Pereira para a derrubada do muro construído com o objetivo de transformar um loteamento em condomínio fechado no bairro Santa Rita, a Prefeitura de Piracicaba interrompeu o serviço e protocolou, anteontem, petição na Justiça argumentando que os dois únicos trechos já abertos (nas ruas Bárbara Travagline Lubiani a Arthur Eugênio Sacconi) garantem “o livre acesso ao bairro Santa Rita”. A decisão judicial que transitou em julgado em todas as instâncias não faz menção à possível derrubada parcial dos muros. A sentença determina a derrubada total. “Condenando o município de Piracicaba a derrubar os muros já construídos no bairro Santa Rita e retirar os respectivos escombros. Ainda, condena as autoridades demandadas a indenizarem o prejuízo sofrido pela Municipalidade, de forma solidária”, informa a decisão.

O pedido da prefeitura revoltou moradores, que entendem que a sentença está sendo descumprida. “Eles não podem parar. Têm uma data para começar e data para terminar. Se isso acontecer, será um absurdo”, disse Gisele Mori, moradora do bairro há 27 anos. A principal indignação dela refere-se à manutenção do trecho de muro, que interrompe o trânsito pela avenida Concepcionistas. O fechamento da via, diz ela, limita a entrada de ônibus pelo bairro.

“Desde que fecharam os muros, o ônibus passam três vezes por dia. Antes passavam de hora em hora. A Concepcionistas é uma ligação de um bairro para o outro. Ninguém tem o direito de bloquear isso”, avalia ela, que diz levar os filhos para uma creche no bairro Santa Rita Avencas e precisa dar uma volta de mais de três quilômetros para percorrer um trecho que seria de 700 metros, caso o muro não impedisse o trânsito pela avenida.

Outra moradora do bairro, que pediu anonimato, afirma que a manutenção do fechamento da avenida Concepcionistas representa uma separação de classes sociais. “O pessoal do Avencas se revolta, porque encaram como uma ofensa a eles. A verdade é que o pessoal do Santa Rita não quer que os moradores do Avencas passem por aqui”, disse.

Na petição encaminhada ao juiz, a Procuradoria de Geral da Prefeitura de Piracicaba justifica a manutenção do fechamento da avenida Concepcionistas pelo fato de estar prevista a implantação do Jardim Botânico de Piracicaba às margens da via, no entorno da lagoa do bairro. “Com efeito, a abertura da avenida Concepcionistas inviabilizaria a criação do referido Jardim Botânico”, é argumentado na petição. A reportagem não conseguiu contato com o juiz do caso na tarde de ontem. Caso ele acate o pedido da prefeitura, a execução da sentença pode passar a ser debatida no TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo)

(Rodrigo Guadagnim)