Prefeitura lança Seminário Internacional da Água

água É esperada a presença do presidente do Conselho Mundial da Água. ( Foto: Amanda Vieira /JP)

A Prefeitura de Piracicaba lançou ontem (11), o Seminário Internacional da Água, que será realizado nos dias 14 e 15 de março de 2019, no Engenho Central. O evento terá palestras, debates e exposições sobre o tema água, com o objetivo de propiciar um encontro interativo, com renomados convidados internacionais que vão discutir sobre as formas de captação, tratamento, distribuição, perda e escassez, entre outras questões. São esperados especialistas de diversos países para apresentação de cases de sucesso para o tratamento e gestão da água em Israel, Chile, México, Austrália e França.

Há previsão da participação do francês Loïc Fauchon, presidente do Conselho Mundial da Água, para proferir a palestra magna do Seminário. A expectativa é que o público em dois dias de seminário seja de aproximadamente 1.500 participantes. “Piracicaba tem articulação grande em toda a bacia. Temos que debater as experiências do Brasil e internacionais, nos preparar para um futuro não muito distante, utilizando as tecnologias disponíveis”, ressaltou o prefeito Barjas Negri (PSDB), que também é o presidente dos Comitês PCJ.

Para a realização do Seminário Internacional da Água, a prefeitura e o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) contam com a organização do Instituto Movimento Cidades Inteligentes, promoção das Agências das Bacias PCJ, Comitês PCJ, Appla (Arranjo Produtivo Local do Álcool) e apoio do Centro de Capacitação Hydrus.“Estamos fazendo o lançamento hoje (ontem), mas nossas discussões sobre a realização do seminário acontecem desde março. A região de Piracicaba é a que mais se discute e busca soluções para o uso correto da água”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Antonio de Godoy.

Cinco países terão representantes no Seminário Internacional da Água, que terá tradução simultânea, e as inscrições são obrigatórias e gratuitas, pelo site www.ci.eco.br/agua2019. “Vários países ao redor do mundo têm enfrentado escassez hídrica e ainda temos que lidar com hábitos péssimos, por exemplo, como o de pessoas que varrem calçadas com mangueiras de água”, enfatizou Gavroche Fukuma, diretor executivo do Cidades Inteligentes.

(Eliana Teixeira)