Prefeitura prevê vacinar mais de 88 mil pessoas contra a gripe

Vacinação é uma das medidas para prevenção da gripe

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe (Influenza) terá início em Piracicaba na próxima quarta-feira (10), seguindo a orientação do Ministério da Saúde. De 10 a 18 de abril, todos os postos de saúde da cidade vacinarão os seguintes grupos prioritários: crianças de seis meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas.

Demais grupos serão incluídos a partir do dia 22: trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, indivíduos a partir de 60 anos, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (com apresentação da prescrição médica no ato da vacinação).

O lançamento da campanha será na próxima terça-feira (9) no Crab Vila Sônia, às 9h, quando está prevista a vacinação de gestantes. No local, técnicos da Secretaria da Saúde, juntamente com o
secretário de Saúde, Pedro Mello estarão presentes para atender a imprensa. A meta do Governo Federal para a campanha deste ano é vacinar 90% dos grupos prioritários, que em Piracicaba corresponde a 88.352 pessoas.

PREVENÇÃO
De acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação contra a gripe é uma das medidas mais eficazes para a prevenção da doença e suas complicações. As vacinas utilizadas são trivalentes, que contêm os antígenos purificados de duas cepas do tipo A e uma B, sem adição de adjuvantes. A composição da vacina é determinada pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Portanto, o objetivo da campanha é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelos vírus da influenza.

Para Pedro Mello, é fundamental que as famílias compreendam a importância da vacina para o bem de toda a cidade, uma vez que o contágio se dá por via respiratória e por contato, o que facilita a disseminação do vírus nessa época do ano. “Devemos ter uma atenção especial aos grupos prioritários, mas o estímulo para que a vacinação abranja todo o público esperado deve ser de todos: pais, mães, tios, avós, amigos. Porque somente com esta corrente proativa em favor da imunização conseguiremos evitar problemas mais graves, que podem levar à morte”, explicou

(Da Redação)