Prefeitura une três áreas verdes para criação de Jardim Botânico

A prefeitura deu início ontem à criação do Jardim Botânico, com a assinatura do decreto que regulamenta o espaço no município. De acordo com o secretário de Defesa do Meio Ambiente, José Otávio Menten, um grupo interdisciplinar vai elaborar um plano de trabalho para, entre outros pontos, viabilizar convênios com os setores público e privado necessários para a disponibilização de recursos técnicos e financeiros para a formação do jardim, que será formado por três áreas distintas: o Parque do Engenho Central, outra onde funciona o Viveiro Municipal, no Santa Rita, e a última no Parque Natural, em Santa Teresinha, somando 86 hectares de terra. A estimativa é de que o complexo de obras seja concluído em dez anos.
 
Apesar de iniciar os trabalhos, a Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) ainda não possui previsão de gastos ou orçamento que apontem para a quantidade de recursos necessários para concluir o projeto. O secretário admitiu que o município não dispõe de dotação para executar as obras e que um dos caminhos será buscar emendas parlamentares. “ A Associação dos Moradores do Santa Rita está empenhada em buscar os recursos junto com a prefeitura para viabilizar as obras naquela região”, acrescentou.
 
Para o prefeito Barjas Negri (PSDB), a criação do Jardim Botânico possibilitará que a prefeitura catalogue a flora existente nessas áreas, que segundo ele somam mais de 40 mil espécies. O prefeito informou que as escolas do município passarão a realizar visitas monitoradas. 
 
O presidente do Comitê Executivo da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, João Neves Toledo, acompanhou a assinatura do decreto. “Esta não é uma ação local, mas uma ação para a conservação da flora brasileira”, disse. De acordo com ele, o objetivo de um jardim botânico se divide em três pontos: conservação, pesquisa para conservação e educação ambiental para conservação. Ele também citou que Piracicaba tem um grande ponto a seu favor, o de contar com o herbário da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz). 
 
 
DEZ ANOS — A partir da assinatura do decreto, o grupo interdisciplinar terá 90 dias para cumprir algumas atribuições previstas no documento, entre elas elaborar e aprovar regimento próprio; emitir sugestões para a visão e a missão do Jardim Botânico; definir as diretrizes de uso dos espaços e referência para projetos e obras.
 
A próxima etapa consiste na solicitação, por parte da Sedema, do registro e enquadramento do Jardim Botânico de Piracicaba no Ministério do Meio Ambiente e no Sistema Nacional de Registro de Jardins Botânicos. Com isso, será possível celebrar convênios e termos de cooperação para aprimorar recursos técnicos e captar os recursos para planejar a trajetória do espaço.