Presidente da Eletrobras diz que está disposto a permanecer no cargo

Presidente da Eletrobras diz que está disposto a permanecer no cargo
Fonte: Agência Brasil

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, disse hoje (13) que, se o futuro governo quiser, ele está disposto a permanecer no cargo para prosseguir com o processo de recuperação da companhia. O executivo, acrescentou, no entanto, que não houve um convite oficial e lembrou que a reestruturação da companhia tem avançado.

Para ele, esses dias que ainda faltam para completar o ano serão muito importantes para a empresa porque ainda há questões pendentes como o leilão da distribuidora Amazonas Energia, previsto para o próximo dia 27.

“Havendo o interesse de continuar este trabalho, inclusive no processo de capitalização da Eletrobras, que será necessário, evidentemente, esse que vos fala tem interesse em continuar este trabalho”, informou, hoje (13), ao ser questionado sobre o tema durante uma teleconferência a analistas de mercado sobre o balanço do 3º Trimestre de 2018 da companhia.

Ferreira Júnior acrescentou que tem mantido contatos frequentes com Luciano de Castro, integrante da equipe de transição do futuro governo para a área de energia. “Ele fala comigo com grande frequência e o tenho mantido informado. Óbvio que, para além disso, se tem visto que na formação do governo Bolsonaro, tem a nomeação de ministros e a partir daí se confirma ou não as estruturas de subordinação daquele ministério. Os ministros confirmados estão podendo ter acesso, via convites, seja para compor o seu time interno, ou para compor as empresas relacionadas ao ministério”, observou.

O presidente da Eletrobras disse desconhecer quem será o ministro da área de energia, mas ponderou que tem sido positivo o relacionamento mantido com a equipe do presidente eleito para informar a situação da empresa. “Seja sobre os nossos problemas e nossas preocupações. Isso, tem sido, totalmente, compartilhado e tem sido apoiado por eles nas soluções e encaminhamentos que temos colocado. Acho isso positivo”, completou.

Prejuízo

Wilson Ferreira Júnior disse que, apesar do prejuízo líquido registrado no terceiro trimestre, de R$ 1,6 bilhões, comparado com o lucro líquido de R$ 550 milhões do mesmo período do ano passado, as perspectivas da Eletrobras são boas. Ele destacou a comunicação clara com o mercado sobre as operações da companhia, em um processo de compliance com a definição de regras internas a serem cumpridas para melhorar a gestão.

“Eu estou muito otimista, porque se o Brasil vai crescer a Eletrobras vai poder apoiar e com as obras que ela está entregando como na fase final de Sinop [usina hidrelétrica no Mato Grosso], estamos entrando no fechamento de 12 das 18 máquinas de Belo Monte [usina hidrelétrica no Pará], terminando Belo Monte em outubro do ano que vem. Acho que a gente está com uma agenda muito boa alinhada com o crescimento do Brasil”, apontou.

De acordo com a Eletrobras, o resultado do terceiro trimestre sofreu impacto, principalmente, das provisões não recorrentes para contingências no total de R$ 2,2 bilhões, sendo que R$ 1,5 bilhões foram relacionados a empréstimos compulsórios.

Houve ainda a influência negativa do segmento de distribuição que registrou prejuízo de R$ 998 milhões no período. Já os segmentos de geração e de transmissão tiveram lucro de R$ 832 milhões e R$ 103 milhões, respectivamente, no terceiro trimestre de 2018.

Angra

Ainda na conferência, o presidente da Eletrobras informou que há uma perspectiva de retomada das obras de Angra 3, considerada, segundo ele, uma importante usina dentro do sistema elétrico brasileiro. As obras estão paralisadas desde 2016 e a perspectiva é de que o edital possa ser publicado no primeiro semestre de 2019. “O impacto potencial que essa retomada tem para a Eletrobras, é algo que nos deixa bastante otimistas”, disse.

Presidente da Eletrobras diz que está disposto a permanecer no cargo