Primeira prévia do Ibovespa aponta entrada de B2w e Gol e saída de Marfrig

A B3 divulgou na manhã desta segunda-feira, 2, a primeira prévia da carteira do Ibovespa, que será válida de maio a agosto de 2018, indicando a inclusão da B2W, com participação de 0,307%, e da Gol, com peso de 0,205%.

Os resultados da empresa aérea têm surpreendido positivamente, bem como as estimativas do mercado para 2018 são favoráveis. Quanto à B2W, a recuperação da economia e mudanças promovidas pela diretoria têm favorecido o crescimento da empresa de comércio eletrônico.

O papel com maior peso continua sendo Itaú Unibanco PN, agora com 10,650%, seguido por Vale ON (9,593%) e Bradesco PN (8,369%).

Nesta prévia, Marfrig não consta mais do índice. A ação da companhia tem sido afetada pela recuperação da operação da JBS a um ritmo considerado acelerado por analistas, pelo câmbio e pelo nível de endividamento.

A ação da BRF aparece com participação de 1,268% na primeira prévia do Índice Bovespa, o que implica uma perda de 0,953 ponto porcentual, na comparação com os 2,221% da carteira válida para janeiro a abril de 2018. O papel já vinha sendo afetado pelos resultados aquém do esperado pelo mercado, quando passou a recuar em função da Operação Trapaça, desdobramento da Carne Fraca, que apontou para indícios de fraudes na empresa.

Investigações de corrupção também afetaram empresas de concessões rodoviárias. A primeira fase de 2018 da Operação Lava Jato teve como um dos alvos o setor. A participação da CCR passou de 1,420% para 1,006%, enquanto EcoRodovias diminuiu de 0,180% para 0,117%, na mesma base comparativa.

Entre as que perderam participação também está a Qualicorp, que apresentou resultados do quarto trimestre de 2017 bem abaixo dos expectativas mais conservadoras do mercado. Sua participação na carteira caiu de 0,593% para 0,389%.

Entre os bancos, Itaú Unibanco permaneceu no topo do ranking ampliando sua presença, que passou de 10,510% para 10,650%. O Banco do Brasil também ganhou participação, passando de 3,076% para 3,631%.

Vale ON, segunda colocada no ranking, voltou a perder participação. Na carteira válida até abril estava com 9,993% de peso, mas passará para 9,593%. Já o peso das ações PN da Petrobras aumentou, de 5,240% para 6,380%. As ações ON, que tinham participação de 3,611%, passaram para 3,966%.