Primeiro lar: como decorar?

Cores imprimem sensações e personalidade. (foto: Divulgação)

Os planos de vida dos jovens geralmente seguem um plano: crescer, estudar, se formar e deixar a casa dos pais. Quando o grande momento de ter um lar só seu chega, muitas dúvidas podem surgir, seja em relação à decoração ou à praticidade do lugar onde o novo morador passará as horas relaxantes de seus dias.

Para facilitar esse processo de transição, ao menos no que se diz respeito ao ambiente do lar, o designer de interiores Henrique Freneda dá dicas valiosas de como fazer a primeira decoração de forma que imprima a personalidade e os gostos do dono da casa.

PERSONALIDADE

Na conversa inicial procuro conhecer o gosto do cliente para depois imprimir a personalidade no projeto”, conta o designer.

Seja clássico, moderno ou sofisticado, o importante é que o jovem faça uma análise de sua personalidade antes de definir como o lar deve ser decorado.

Cômodos maiores podem ser divididos em vários ambientes. (foto: Divulgação)

ESPAÇO

Na hora de decorar, o tamanho do espaço deve ser levado em conta. A dica de Freneda é, para ambientes pequenos, a opção por mobílias práticas, que ocupem pouco espaço mas atendam as necessidades dos habitantes. Lembre-se de preencher todos os cantos do cômodo, além de lembrar que todos os moradores devem se sentir aconchegados e ter as necessidades satisfeitas no lar.

Já em locais maiores, sobra mais espaço para a imaginação. “Há maior liberdade de criar na decoração”, afirma Henrique. “De forma geral, a criação do projeto precisa entender as necessidades para priorizar ou valorizar os ambientes”.

Alinhe suas expectativas com as possibilidades do projeto. (foto: Divulgação)

MODERE

Apesar de todo o frenesi em se decorar pela primeira vez, é importante controlar as compulsões. O estilo minimalista leva em conta que “o menos é mais”, portanto é mais difícil que o morador, posteriormente, enjoe ou se arrependa de suas escolhas.

Se o imóvel for alugado, temporário, tenha cuidado com a aplicação de cores nas paredes e opte pela decoração mais monocromática. “Se, ao contrário, o imóvel já for o ‘dos sonhos’ do cliente, pode-se abusar das cores”, orienta o especialista. Cores também imprimem sensações e personalidade, então tome cuidado na escolha.

Além disso, ao escolher qualquer produto para o novo lar, reflita primeiro sobre a qualidade e durabilidade dele. Seja em relação a objetos decorativos, pisos ou revestimentos, a qualidade deve ser prioritária.

CUSTO

Decorar não precisa ser exorbitantemente caro. Antes do valor dos objetos, eles devem refletir o bom gosto do proprietário. “Não precisa ter apenas dinheiro, pois prevalece o bom gosto”, conta Freneda.

Ademais, alinhe suas expectativas com a realidade, sem imaginar projetos impossíveis de serem concretizados, seja pelo espaço ou limitação de custos. Equilibre seus sentimentos e evite frustrações posteriores. “Na maioria das vezes, o resultado até supera os desejos iniciais do cliente”, garante o designer.

Mariana Requena
[email protected]