Principal avenida do Monte Alegre tem manutenção

A Semob (Secretaria de Obras) inicia os serviços pontuais de recuperação do pavimento da avenida Comendador Pedro Morganti, próximo ao Centro Comunitário do bairro Monte Alegre. A via terá interdição total amanhã, a partir das 7h, no trecho entre a rua Marco Ometto e avenida Joaninha Morganti. A interdição da via será parcial a partir de sexta-feira (23). A previsão para conclusão da obra é de uma semana.
 
O trabalho consiste na retirada do paralelepípedo do trecho danificado, troca da base do calçamento e reassentamento das pedras. A melhoria compreende um trecho de 230 metros quadrados e será realizada pela Construtora e Pavimentadora Concivi, ao custo de R$ 20 mil.
 
“Para os veículos leves, a alternativa é utilizar a via paralela — rua Sergio Juvenal Magalhães Antunes. Em caso de chuvas, o início dos trabalhos será reagendado”, informou a pasta.
 
Para o presidente do centro comunitário, Fortunato Fleury Sunhiga, a obra deve resolver um problema já antigo. “Há quase dois anos abriu-se um buraco nos paralelepípedos devido ao trânsito de caminhões. A obra deve ser comemorada devido a sua complexidade, mas outros buracos poderão se abrir caso o fluxo de veículos grandes não cesse pelo bairro”, disse.
 
Fortunato lembrou que acompanha desde o começo a luta pela melhoria na avenida. “Foram três licitações e não houve empresa apta a fazer a manutenção devido aos paralelepípedos. Após a obra é preciso evitar que os caminhões continuem a circular pelo bairro, para isso é importante que a alça de acesso à rodovia SP-308 seja feita”, afirmou.
 
Para o empresário Wilson Guidotti Júnior, a melhoria contribui para preservar o bairro histórico e melhorar o bem-estar dos moradores. “Porém, se o fluxo de veículos grandes não parar, novos problemas surgirão.”
 
 
DIFICULDADES — Em recente entrevista ao JP, o presidente da Oji Papéis Especiais, Agostinho Monsserrocco, concordou com os moradores e lembrou que a companhia já se dispôs até a doar uma parte do seu terreno para a implantação de uma ligação direta entre a fábrica e o anel viário. “A empresa já fez diversas reuniões e solicitações com representantes do poder público solicitando que seja construída a alça de acesso para evitar o tráfego de caminhões no bairro e, assim como os moradores, está aguardando até que a obra seja feita”, disse à época.