Proam encaminha a SP pedido de proteção para campos naturais da Serra do Mar

O Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam) encaminhou nesta quarta-feira, 18, pedido ao governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), e ao secretário de Meio Ambiente, Maurício Busadin, de medidas urgentes para a proteção dos remanescentes de ecossistemas naturais, especialmente nas regiões onde se encontram as nascentes que abastecem importantes mananciais de água, com a represa Billings.

Os ambientalistas querem a criação de uma Área de Proteção Ambiental (APA) dos campos naturais da Serra do Mar, que garantem a umidade necessária ao abastecimento de reservatórios de água de São Paulo.

Segundo o presidente do Proam, Carlos Bocuhy, a exemplo dos chamados “rios voadores”, que carregam a umidade das florestas do Amazônia para o interior do continente, os “ventos alísios” trazem a umidade do Atlântico, formando na serra do Mar as chuvas que caem nos campos naturais no início do planalto de Piratininga.

Essa “esponja natural”, nos picos da serra, é essencial para prover água para o reservatório Billings, entre Paranapiacaba e o município de São Bernardo do Campo.

“O primeiro passo é o governo estadual realizar estudos mais profundos sobre a influência e a área de abrangência da penetração da umidade do Atlântico que garante, com a neblina, garoa e chuva, a vida dos mananciais e o abastecimento de São Paulo”, afirma Bocuhy. Em seguida, criar as áreas de proteção desses campos.

Ele argumenta que a Constituição prevê a proteção dessas regiões. O artigo 225, conforme Bocuhy, diz que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.