Problemas em ponto de ônibus na Dois Córregos

problemas Abrigo precário fica na rua Genoveva Nazato Formágio. ( Foto: Claudinho Coradini/JP)

Usuários de um ponto de ônibus localizado na rua Genoveva Nazato Formágio, esquina com a avenida Dois Córregos, no bairro Nova Iguaçu, reclamam das condições precárias as quais se encontram a estrutura e falam do risco de queda da cobertura do abrigo. Segundo as reclamações, muitas pessoas, incluindo idosos e crianças, utilizam o espaço diariamente. O problema, segundo eles, está em uma das bases de sustentação da cobertura que está totalmente enferrujada e sem estabilidade.

De acordo com o vendedor José Medeiros, há dez dias ele vem tentando contato com setores da prefeitura para formalizar a reclamação e o pedido de reparo, mas não obtém resultado. “Eu liguei na Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte) e me pediram para ligar no 156, já no 156 me manadaram ligar na Semuttran, que palhaçada é essa?”, questionou. Segundo ele, antes disso, ele telefonou na prefeitura onde sugeriram que ele falasse com um dos dois serviços. Medeiros reclama do descaso com a segurança dos usuários do transporte público.

“A estrutura está totalmente solta e enferrujada e está comprometendo a segurança das pessoas que ficam embaixo, eu mesmo nem espero o ônibus no ponto, fico de lado”, contou. A dona de casa Maria Inês dos Santos, contou que já havia percebido a situação do ponto e disse temer pela segurança. “Eu não uso com frequência esse ponto, no máximo uma vez por semana mas muita gente que trabalha no Unileste esqpera o ônibus aqui, acho que deveriam ter mais cuidado e atenção”, observou.

Medeiros destacou a quantidade de trabalhadores do Distrito Industrial que aguardam os ônibus no ponto. “Nos horário de pico, esse ponto fica lotado e é muito perigoso deixar do jeito que está”, afirmou ele ao acrescentar que o risco de queda é maior em dias de chuva. A assessoria de imprensa da Prefeitura e da Semuttran foram procuradas para comentar o assunto. O setor de comuncação da Administração Municipal informou que a Semuttran responderia sobre a demanda, o que não ocorreu até o fechamento desta matéria.

(Beto Silva)