Problemas recorrentes afetam bairros

A chuva da última quinta-feira trouxe sérios transtornos em diversos bairros da cidade, principalmente nas regiões mais periféricas, como o São Jorge, Jardim Ibirapuera e comunidade Portelinha. Segundo a Comissão Municipal da Defesa Civil, durante cerca de 90 minutos de precipitação, choveu 55 milímetros e, no restante da noite, até ontem pela manhã, o total atingiu 59 mm. Houve problemas na região da avenida 31 de Março e uma moradia caiu no núcleo Cantagalo, onde a família foi socorrida pela Defesa Civil.
 
Na rua Pedro Alvares Cabral, esquina com a rua Bogotá, no Jardim Ibirapuera, o problema não é novo. “Já tem tempo que reclamamos e só ouvimos promessas. A água entrou pela minha garagem e foi para a casa dos fundos. Se não fosse derrubar o muro do vizinho, para a água escoar, teríamos a casa invadida completamente”, disse o motorista João Batista Ribeiro, 37.
 
Outro ponto que gerou bastante reclamação foi na comunidade Portelinha. Segundo os moradores, devido a “um erro” na colocação de uma tubulação feito pela prefeitura, toda vez que chove, as casas acabam alagando. “Disseram que iam arrumar, fizeram um serviço meia boca e incompleto. Agora, quem sofre as consequências, somos nós”, disse Andrieli Tertuliano, 32, auxiliar de cozinha.
 
Oseias Miguel da Costa, 43, também reclamou. Segundo o pedreiro, os moradores pedem há vários meses a manutenção no local. “Se tivessem feito a limpeza quando alertamos dos problemas com a chegada da chuva, a situação não teria sido de desespero e de casas sendo inundadas. Se alguém precisar do Samu, ele não consegue entrar aqui, nem nós com nossos carros conseguimos”, completou.
 
PREFEITURA — Sobre os problemas apresentados pela reportagem, a prefeitura disse ter conhecimento do problema na rua Pedro Alvares Cabral. “A via tem baixa declividade e prejudica o escoamento de água da rede já existente. A Secretaria de Obras fez levantamento e projeto para prolongamento e melhoria na drenagem desse trecho, o orçamento é complexo e a prefeitura aguarda verba federal e estadual para execução das obras”.
 
Quanto ao caso da Portelinha, a prefeitura afirmou que recebeu o pedido de retirada do entulho nos dias 5 de janeiro e ontem pelo 156. “O pedido foi encaminhado ao Setor de Resíduos Sólidos e a retirada será feita.”
 
Enxurrada provoca ‘efeito dominó’ no São Jorge
 
No bairro São Jorge, um casal que mora nos fundos de uma casa na rua das Laras, acabou perdendo móveis, mantimentos, eletrodomésticos devido a uma forte enxurrada. Conforme explicaram Jean Carlos Silva Santos e a esposa Thays Souza, de 25 e 22 anos, respectivamente, a água veio pelos fundos da casa. “Era tanta água que veio quebrando o muro da casa de pelos menos três vizinhos. Na hora que chegou aqui, a água rodou e levou nossos tanquinhos e a máquina de lavar nossa e da nossa vizinha de cima, além disso, inundou também a cozinha, estragando mesa, cadeira, fogão, microondas, geladeira e os mantimentos que havíamos acabado de comprar e estocar para os próximos dois meses”, disse Jean. 
 
Thays estava abalada e lembrou que, em conversa com os vizinhos, que moram na região há mais de 10 anos, nunca havia acontecido isso. “Pegou a gente de surpresa e estamos desolados. Não temos uma renda muito grande e, com esse prejuízo, nem sei ainda como vamos lidar. Agora vamos orar e pedir a Deus ajuda para conseguir retomar nossas vidas. Quem tiver condições de nos ajudar podem ligar no 9.7109-9306. Ficaremos agradecidos.”
 
Em nota, a Defesa Civil disse que tomou conhecimento da situação pelo JP. Porém, até o final da tarde de ontem, que averiguaria a situação.” A Defesa Civil atende pelo telefone 199, ou mesmo pelo telefone 153 (Guarda Civil)”.