Procon orienta sobre atrasos nas entregas dos Correios

Com a constatação que mais de 40 bairros da cidade sofrem com a falha na entrega de encomendas e correspondências pelos Correios, o JP pediu informações ao Procon de Piracicaba para saber se a população está procurando seus direitos. Segundo levantamento do órgão, de janeiro de 2017 até ontem foram registrados um atendimento preliminar sobre má prestação de serviço — resolvido no contato realizado entre o órgão e a empresa — e 23 consultas simples, que incluem extravio de bagagem, serviço não prestado, não cumprimento do contratado, atraso na entrega, entre outros.
 
Responsável pelo Procon da cidade, Milton Sérgio Bissoli orienta o consumidor a planejar e programar pagamento das contas, observando a época em que elas costumam chegar. “Ao notar que o vencimento está perto e o boleto ou a fatura não chegou, para não ter que arcar com a multa e demais encargos por atraso, o consumidor deve contatar a empresa e solicitar uma outra forma de pagamento ou solicitar uma segunda via do boleto sem juros, por exemplo, entrega por e-mail, internet, fax e Whatsapp”, disse.
 
Segundo Bissoli, o consumidor não pode ser cobrado pelos encargos decorrentes da inadimplência ou do atraso no pagamento, quando ficar comprovado que procurou formas alternativas para honrar os compromissos. Caso ele não obtenha uma alternativa para efetuar o pagamento, deve registrar reclamação junto a um órgão de defesa do consumidor. Havendo protocolo de solicitação ou outra comprovação, os encargos não deverão ser cobrados. “Não receber a fatura, boleto bancário ou qualquer outra cobrança, que saiba ser devedor, não isenta o consumidor de efetuar o pagamento.”