Projeto do HFC é reconhecido em fórum de sustentabilidade

Cerca de mil representantes de vários hospitais filantrópicos, que atendem o Sistema Único de Saúde no Estado de São Paulo, participaram do 1º Fórum “Somos Sustentáveis” da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), que aconteceu no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. O Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba levou uma caravana com cerca de 30 colaboradores para participar do Fórum. O objetivo do evento foi divulgar a evolução do Programa SUStentáveis, os avanços de gestão, e os resultados qualitativos que os hospitais participantes alcançaram.
 
O HFC trouxe para o Fórum três exemplos de projetos implantados no hospital e um deles foi reconhecido como um case de sucesso. O trabalho teve o título: “Aumento da disponibilização dos leitos críticos através do alinhamento do plano de cuidados transdisciplinar, com foco nas necessidades individuais do paciente crítico”. Elaborado pelo gestor das UTis, Dr Paulo Sergio Santos Oliveira, e a coordenadora técnica, Lucianna Novaes, o projeto tem como objetivo buscar solução para a indisponibilidade de leitos intensivos, uma das grandes preocupações da equipe. O case propôs a gerência da demanda reprimida dos leitos intensivos. A prestação de serviço de alta qualidade em terapia intensiva está atrelada aos cuidados centrados no paciente e na família. A implementação de um sistema de informação específico, da visita multidisciplinar beira leito, com a instituição do plano de cuidados possibilitou o alinhamento com as boas práticas preconizadas na oferta de serviços de terapia intensiva, com melhorias nos resultados assistenciais e aumento na disponibilização de leitos.
 
“Mesmo com todas as dificuldades, esse reconhecimento mostra que estamos no caminho certo, avançando cada vez mais para rede sustentável”, afirmou o presidente do HFC, José Coral. O presidente ainda disse a importância do HFC participar do Fórum. “Foi importante para reforçar a importância de ser ter uma rede de atenção à saúde, para que todos os envolvidos nessa rede trabalhem em sintonia, almejando uma gestão eficiente, com indicadores que vão além de só fiscalizar, mas compartilhar as tomadas de decisões. Precisamos de uma conexão entre pessoas, serviços, gestão e ações”, disse Coral.
 
Além dessa troca de experiência, durante o dia, profissionais renomados na área da saúde ministraram palestras. A doutora em Medicina Preventiva, Ana Maria Malik, trouxe para o debate sobre mudança estratégica para constituição de redes de atenção à saúde. Já a coordenadora do Núcleo Técnico de Humanização da Secretaria de Estado da Saúde, Eliana Ribas, durante a palestra, reforçou qual a essência da humanização dentro do hospital. E para fechar o ciclo de palestras, Marisa Madi trouxe a importância dos indicadores para a medição de resultados e aprimoramento da gestão, com foco no paciente.