Propark vence licitação para elaborar Plano de Arborização

Contrato homologado há um mês, prevê pagamento de R$ 66.500 para cinco meses de serviço. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Piracicaba terá Plano de Arborização Urbana. O objetivo é otimizar e modernizar as atividades de planejamento, gestão e expansão do patrimônio arbóreo do município.

O Plano será elaborado a partir de um estudo técnico abrangente realizado pela empresa Propark Paisagismo e Ambiente Ltda, vencedora do processo de licitação, e contratada pela prefeitura para executar o serviço no prazo de cinco meses. A empresa detém uma longa lista de serviços prestados à municipalidade,entre eles o desenvolvimento do Plano Diretor do Parque Natural Municipal de Santa Teresinha, em 2007.

A partir do estudo e levantamento, a Propark irá apresentar diagnóstico e propostas de ações para a arborização urbana. A partir daí, o Plano vai determinar as espécies arbóreas mais adequadas para cultivo na cidade, de acordo com as condições relativas ao clima e ao solo do local, além de estabelecer normas agronômicas para o seu perfeito desenvolvimento. “Em resumo, trata-se de plantar a árvore certa no lugar certo”, afirmou o secretário da Sedema, José Otávio Menten.

O Plano contempla programas complementares, como a otimização do Viveiro Municipal, o processamento e o emprego de resíduos de poda, estimulando ampla participação da comunidade piracicabana na manutenção do patrimônio arbóreo.

Segundo Menten, “a arborização pode ser considerada o mais elevado grau de valorização do espaço urbano, depois de implantados os serviços essenciais para a população. Sua importância é bastante reconhecida, devido a seus múltiplos benefícios, como a redução da poeira e das ilhas de calor, além de oferecer sombra, valorizar a paisagem e, principalmente, de proporcionar sensação de bem-estar às pessoas”.

O PLANO

Para colocar em prática o Plano de Arborização Urbana, José Flávio Machado Leão, sócio e fundador da Propark, disse que o primeiro passo é efetuar um diagnóstico detalhado da situação da cidade em relação à arborização para que se possa recomendar as ações mais adequadas para a manutenção do patrimônio existente. “Pode-se também determinar as áreas destinadas ao plantio de novas mudas para aumentar os benefícios e serviços prestados pelas árvores principalmente nas zonas mais carentes”, comentou.

No trabalho de planejamento, será também verificada a ocorrência de pragas e doenças que podem prejudicar as árvores, levando-as à queda, com riscos de acidentes. Também é importante verificar cada espécie e seu convívio com equipamentos urbanos, possibilitando, inclusive, a perfeita mobilidade de pedestres, entre muitos outros aspectos.

Em face do crescimento de Piracicaba, ocorrido nos últimos anos, o manejo do patrimônio arbóreo exigirá a modernização do seu sistema de gestão. “Isto implica na utilização de tecnologias avançadas, como o sensoriamento remoto, com imagens de satélites de alta resolução, para auxiliar na elaboração de inventário da vegetação arbórea existente na malha urbana e o emprego de softwares”, explicou Leão.

Da Redação