Público lotou os corredores para saber mais sobre a vida dos insetos

3ª Feira de Insetos aconteceu no ultimo sábado (27) e os visitantes puderam participar de várias atividades. (foto: Claudinho Coradini/JP)

Sábado passado a Esalq realizou a 3º edição da feira de Insetos, no Departamento de Entomologia.

A feira contou com diversas atividades práticas que ilustram o papel dos insetos, foram dez estações e mais de 150 voluntários entre funcionários, alunos e professores da instituição, para ensinar a população sobre insetos polinizadores de plantas, pragas da agricultura e urbana, reguladores de população de pragas, cicladores de nutrientes do solo, transmissores de doenças ao ser humano e seu uso na alimentação humana e animal, bem como curiosidades gerais.

A feira é uma forma de conscientização dos insetos, reforçando também a sua importância no meio ambiente. Ainda tem muita gente leiga no assunto e eventos como esse são muito importante para todas as gerações”, diz a vistante Barbara Canderan.

Seguindo Alexandre Diniz membro da organização, a feira contou com a presença de 4347 pessoas superando o número do ano passado de 3200. A maior participação foi das crianças, que se divertiram com as áreas kids, pintura no rosto e troca brindes. “É uma experiência bem legal, as crianças estavam muito interessadas é bonito de ver essa curiosidade da nova geração. É normal que no início algumas tenham receio de tocar no animal, mas elas gostaram bastante de conhecer coisas novas”, relata a estudante Thalita Albuquerque.

A novidade deste ano foi o artista plástico Diogenes Moura fazendo uma arte ao vivo durante o evento, participação do grupo Bio na escola que conduziu a estação Solo Vivo, na qual eles apresentaram os organismos presentes no solo, sendo que parte destes são insetos também.

Com a intenção de proporcionar uma experiência de imersão, os alunos criaram a estação sons dos insetos, na qual uma sala foi ambientada com plantas e projeções cruzadas de imagens de diversos insetos e simultaneamente os sons produzidos pelos mesmos. A estação de curiosidades apresentou diversos insetos vivos, principalmente aquáticos. O borboletário era disputado, e com toda razão, inúmeras borboletas de todos os tipos voavam por todos os lados, mas para aqueles que não gosta muito de insetos voadores, os alunos transformaram uma das salas de aula em um enorme formigueiro onde as pessoas podiam entrar e literalmente se sentir uma formiga.

Esse ano programamos mais atividades e mais entretenimentos, esse evento traz a população para dentro da Esalq, o que é bom para nós divulgarmos a importância do inseto, e a cada ano nós temos a intenção de inovar”, informa o professor do departamento de Entomologia, Pedro Yamamoto.

Os pais de João Henrique,11, e Arthur Moreira,6, fazem questão de ir a feira todos os anos. “A gente acha legal, tem bastante comida diferente, da última vez eu comi grilho com chocolate, mas esse ano não deu coragem,”, conta João Henrique,11. As atividades têm como objetivo despertar principalmente nas crianças o amor pela natureza e os cuidados que devemos ter. “Eu amei! gostei de tudo, temos todas as insígnias, plantei algumas mudas e em vez de comer inseto eu comi alface e em casa já temos mudas de rúcula e quero plantar mais”, completa Arthur.

A curiosidade vai além da feira, muitas pessoas queria saber mais sobre o assunto e muitos alunos de ensino médio aproveitaram a oportunidade para decidir a carreira que vai seguir. “Nós ficamos muitos felizes com o interesse da população, e o interessante é que surgiram demandas de palestras sobre diversos assuntos, isso é gratificante, nossas expetativas foram superadas e foi legal de ver os voluntários dividindo experiência com as pessoas da fila”, diz Diniz.

Letícia Azevedo
[email protected]