Queda de internet afeta atendimento em UPA

Uma queda no serviço de internet afetou hoje o atendimento da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) Vila Cristina. Em alguns casos, o tempo para a triagem chegou a 3h e uma paciente teve que voltar para o fim da fila após sua ficha de atendimento ter sido perdida. A Prefeitura de Piracicaba atribuiu o problema à chuva do final de semana. 
 
A dona de casa Rogéria Inocêncio, 35, procurou atendimento para as duas filhas às 13h. Uma delas, de colo, conseguiu. Porém, a mais velha, de 16 anos, não tinha sido atendida por um médico até às 15h40. O problema é que a primeira ficha de atendimento da adolescente desapareceu. 
 
“A minha filha de 16 anos está com dor no estômago. Chamaram ela para a triagem, só que o médico não. Daí vimos que foi perdida a ficha e ela teve que voltar de novo para o fim da fila. Está demorando bastante o atendimento hoje (ontem)”, apontou Rogéria. 
 
Já o pedreiro Ademir Cerigato, 51, chegou às 10h na unidade. Sua neta de 11 meses estava com febre. A triagem só foi realizada às 13h30. “Mais de uma hora depois da triagem que ela foi atendida pelo médico. Fez o exame de sangue, mas parece que, porque não tinha sistema, ia ficar pronto só na quarta-feira. Falaram que está demorando por causa desse sistema. Tem gente que chegou mais cedo do que eu e ainda estava esperando”, relatou Cerigato. 
 
O voluntário da Aliança de Misericórdia, Fernando Benedito Cardoso, 40, foi acompanhar dois membros atendidos pela instituição. A queda no sistema teria sido a explicação das atendentes para a demora. 
 
“Está demorando porque o sistema está fora, não sabem o que aconteceu. Até o sistema voltar, a lentidão vai continuar. A ficha está sendo feita em papel, manualmente, não mais pelo computador”, afirmou Cardoso. 
 
A Secretaria de Saúde de Piracicaba informou que, devido à chuva do final de semana, “toda a rede de Internet da região da Vila Cristina ficou comprometida e o serviço só voltou a funcionar hoje (ontem), após às 13h, e ainda de forma precária e com baixíssima velocidade”. 
 
A pasta admite que o problema afetou o atendimento da UPA. Porém, também citou uma procura por atendimento acima da média. “A Secretaria de Saúde abriu um novo chamado à operadora para solucionar o problema, que afetou diretamente o atendimento da UPA. Por causa disso, todas as fichas de acolhimentos precisaram ser feitas manualmente, com atraso no atendimento ao público. Além disso, hoje houve uma procura pela unidade acima da média para as segundas-feiras”. A Saúde não se posicionou sobre a perda da ficha da paciente e sobre o tempo para resultado do exame de sangue.