Quem diria?

Pelos ensinamentos de botânica, a banana selvagem era reta e não curva como se apresenta hoje. Quem diria?

A política sempre se apresenta por linhas curvas.

Pelas percepções de cientistas políticos, quem diria que Trump seria eleito presidente dos E.U.A., e muito menos chegasse a governar por dois anos e meio. Ainda se não bastasse, colocaria a sua candidatura à reeleição para 2.020, pois com todas as críticas contra si e mesmo com a fama de louco continua sendo altamente questionado. Quem diria?

Outra curiosidade da banana é que possuía sementes grandes e atualmente se apresentam naqueles pontinhos escuros no seu interior. Quem diria?

De forma idêntica acontece ao analisarmos como o nosso presidente da república, um desconhecido, deputado que não apresentou nada relevante durante 28 anos de mandato, militar num país que sofreu uma ditadura por eles implantada, que se diz desconhecedor de economia e outras “cositas mais” morador da cidade maravilhosa, capital de um estado em que predomina a violência, onde a faculdade de corrupção exportou para Brasilia e outras plagas os melhores alunos formados com “distinção”, pudesse ser eleito, com 54 milhões de votos. Quem diria?

Assim como outras frutas, a banana também se apresenta em gomos. Depois de descascada, quando madura ao ser introduzida pelo seu dedo numa das pontas, ela se revela com três gomos, que a olho nú passaria desapercebido. Quem diria?

Também a democracia, dentro de suas origens, quando analisada é formada por três gomos porque assim foi pensada: o executivo, o legislativo e o judiciário, que somados dão a sua unidade, que tem como casca o “quarto poder” a mídia que se coloca como a “casca de banana” para que os desapercebidos escorreguem quando pisoteada e se anulem entre si. Quem diria?

A banana é inspiradora dos sentimentos populares por estar presente em nossa alimentação e no folclore carnavalesco na sua atuação, produzindo anedotas de grande significado para a sociedade que cantou e continua cantando o “chiquita bacana lá da Martinica, se veste com uma casca de banana nanica” tomando cuidado para não ficar sem roupa. Quem diria?

Estratégias foram “boladas” nas contendas políticas. Uma delas apresenta armadilhas para os candidatos adversários, porém quem cai nas mesmas sempre é o povo que acabava “metendo o voto na urna”, semelhante a combuca com uma banana como isca: você ganha mas não leva, além de ficar refém de uma situação. O macaco mete a mão na combuca para retirar a banana, mas ao segurar a banana não consegue porque o orifício por onde enfiou a mão é menor que a mão mais a banana. Aí vem o homem seu irmão histórico e caça o macaco. Quem diria?

Como podemos ver, o “homem não vive só de pão”. Eu acrescentaria “vive de pão e banana”!

Quem diria que o Brasil não seria um país do futuro. Será que o Brasil não vai passar de um país do presente?

Como resultado, só resta espernear e aguardar melhores dias.

No consolo desses fatos você poderá se defender e num gesto de ironia, “dar uma banana” para a evolução que nos trouxe até aqui. Quem diria?