R$ 9.282.590,31

Quando iniciamos o ano de 2017, em mais uma presidência à frente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, tínhamos uma convicção, a de que a Casa deveria dar o exemplo, melhor gerir os recursos públicos. Isto sem, contudo, ferir dois pilares essenciais ao seu trabalho, a independência do Legislativo e a manutenção dos serviços prestados à população, através dos departamentos e gabinetes parlamentares.

Já em abril, anunciamos o corte de R$ 5 milhões que sequer chegaram a ser repassados à Casa ao longo dos meses seguintes. O duodécimo, parcela mensal de repasse segundo a Lei Orgânica do Município, sofreu redução de R$ 3.375.000,00 para R$ 2.958.333,33. 

Naquele momento já sabíamos da nossa responsabilidade em colaborar para o equilíbrio das contas públicas e organizamos dezenas de medidas de contenção de despesas que requereram de todos, vereadores e servidores, muito comprometimento.
Não imaginávamos, no entanto, que as mudanças necessárias atingissem ao patamar que chegaram, rompendo com culturas e comportamentos que possibilitaram superar todos as expectativas que traçamos no início do ano.
 
Em novembro, antecipamos nova devolução de recursos, possibilitada pelo caixa do momento e projetando gastos que ainda ocorreriam até o final do ano. Devolvemos R$ 1,5 milhão para contribuir com o pagamento de uma conta que não pertencia à Casa, mas que poderia, se não amenizada, interromper o atendimento via Sistema Único de Saúde pelos hospitais da cidade.
 
Antes do início do recesso, ainda com a contabilidade aberta diante de licitações em andamento, anunciamos a projeção de devolução total de R$ 8.264.344,84 e, em 26 de dezembro, quando efetivamente as contas se fecharam, alcançamos o surpreendente valor de R$ 9.282.590,31 retornado ao cofre geral da prefeitura. Foram, no último repasse, R$ 2.782.590,31, cujo compromisso de destinação à saúde fora assumido pelo prefeito Barjas Negri em reunião com todos os 23 vereadores, em 26 de novembro.
 
2018 será um ano difícil, cuja austeridade será mantida, assim como as providências tomadas em 2017. Abrimos mão de R$ 9.962.700,00 do Orçamento de 2018, antecipando o que poderíamos fazê-lo apenas em dezembro deste ano. Uma opção coletiva, da Mesa Diretora e dos vereadores, que compreenderam o novo lugar em que se transforma, dia a dia, este Legislativo.
 
Nossa meta foi superada e o desafio agora é, com a gestão equilibrada, trazer para a Casa aqueles que possam contribuir para um novo ambiente político, de transparência e resultados. Nosso agradecimento à toda cidade, a cada servidor empenhado em continuar a construção de um parlamento ágil, produtivo e responsável.