Reanimação cardiopulmonar salva vidas, se feita corretamente

Evento gratuito ensina técnicas de primeiros socorros por meio da massagem de reanimação (Freepick)

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), 90% das vítimas de parada cardíaca morrem antes de chegar ao pronto socorro, e o quadro se torna ainda mais preocupante se levarmos em conta que a maioria dos ataques cardíacos acontecem fora do hospital: 39,5% em locais públicos, 27,5% em residências e 18,2% nos asilos, segundo a American Heart Association.

A chance de sobrevivência pode aumentar consideravelmente se a reanimação cardiopulmonar for realizada corretamente, mesmo antes da chegada do socorro médico, já que, a cada minuto sem reanimação, a vítima tem cerca de 10% a menos de probabilidade de passar pelo ataque com vida. Aí está a importância de que todos, mesmo não sendo profissionais da saúde, saibam como aplicar os primeiros socorros para reanimação.

A questão é tão relevante que, pelo Brasil inteiro, instituições médicas e profissionais independentes organizam eventos conhecidos como ‘Dia da Reanimação Cardiopulmonar’, com o objetivo de orientar e treinar pessoas leigas para estarem aptos a prestar os primeiros socorros por meio da massagem de reanimação.

Em Piracicaba, organizado pelo vereador Ronaldo Moschini da Silva, ginecologista e obstetra, e Juliana Barbosa Previtalli, cardiologista e presidente da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), o evento acontece no dia 21 de setembro (sábado), das 8h às 12h30, no estacionamento do Mercadão Municipal e das 13h30 às 19h, no Shopping Piracicaba. Na ação, os participantes assistirão palestra sobre o tema, receberão folders informativos, além de realizarem atividade prática de reanimação com o auxílio de bonecos, e recebem, ao fi nal da aula, certificado de participação impresso. A participação é gratuita. “A cada minuto, uma pessoa é vítima de parada cardiorrespiratória. Tendo o diagnóstico da mesma, a testemunha deve dar início às manobras de reanimação, aumentando significantemente as chances de sobrevivência”, diz Moschini sobre a importância do aprendizado do dia. Alguns sintomas são típicos de enfaros e merecem atenção para diagnosticá-los: dores no braço ou peito, fadiga, tontura, pele fria e úmida, náuseas, rigidez no pescoço, falta de ar, palpitações e pressão no peito. Fique atento!

COMO PREVENIR

Já diz o velho ditado: “melhor prevenir do que remediar”. Alguns hábitos diários podem ser decisivos para evitar problemas cardíacos, principalmente após os 45 anos, quando a ocorrência desse tipo de ataque é mais frequente em homens, e acima dos 55 anos em mulheres. De acordo com a cardiologista Juliana Previtalli, a pressão alta é um dos principais fatores que podem levar a um ataque do coração, portanto e necessário controlá-la. Evitar alimentos gordurosos, cigarro, bebidas alcoólicas e praticar exercícios regulares são determinantes nesse quesito. “O indivíduo hipertenso tem um risco maior de sofrer um enfarto, então para evitar isso ele deve ter os seus índices de pressão bem controlados por meio de medicamentos e também da alimentação”, orienta a especialista. “Deve existir, principalmente, a diminuição da ingestão de sal”. Diabéticos também devem estar atentos ao controle da doença. Açúcares industrializados, além de não carregarem valor nutricional, abrem as portas para o ganho de peso, outro vilão do coração. Opte por uma alimentação mais saudável, com o consumo de frutas e hortaliças, além de optar por sucos naturais, feitos em casa. “Os níveis de colesterol também estão ligados ao risco do sofrimento de um enfarto. É uma patologia que não tem sintoma algum, então é importante que esse nível seja conhecido por meio de exames sanguíneos”, alerta Juliana.

SERVIÇO

Dia da Reanimação Cardiopulmonar. 21 de Setembro, com entrada gratuita. Local: Estacionamento do Mercadão Municipal, das 8h às 12h30. Shopping Piracicaba, das 13h30 às 19h. Mais informações: (19) 3403-6576.

Mariana Requena
mariana.requena@jpjornal.com.br