• Receita da ‘nona’
  • Receita da ‘nona’
  • Receita da ‘nona’

Receita da ‘nona’

As massas são sucessos no paladar dos brasileiros; Saiba como preparar o seu próprio macarrão em casa. (foto: Claudinho Coradini/JP)

É difícil encontrar quem não goste de massas. Lasanha, macarrão, rondelli e canelone: todos eles são verdadeiras delícias que abrilhantam as mesas dos almoços familiares, principalmente aos domingos. Apesar de terem famas de italianas, as massas têm origens um tanto incertas. Alguns historiadores acreditam que a mistura base – farinha e água- foi criada na China, no primeiro século depois de Cristo, e levada à Itália por Marco Pólo em 1295. Outra corrente diz que a massa foi descoberta em Gênova, em 1279, ao encontrarem um texto de Ponzio Bastone que descrevia a receita do “maccherone”, bem próxima das massas que comemos hoje. A ideia mais aceita, entretanto, é a de que a receita foi inventada pelos árabes, que a introduziram na culinária italiana no século 9, enquanto ocupavam a Sicília. A massa pode ter surgido pelas mãos dos árabes, mas é inegável que o toque de mestre ficou por conta da Itália. Foram ali que molhos deliciosos e novas receitas, hoje tradicionais, foram criadas e reinventadas.

E se você quiser colocar a mão na massa, literalmente, para preparar seus próprios macarrões, a chef Renata Palma dá algumas dicas de ouro. Para começar, você precisará de apenas dois ingredientes: farinha e ovos. Para cada 100 gramas de farinha é necessário utilizar um ovo. Sove bem até conseguir a consistência da massa. Aí é só abrir com um rolo (ou com uma garrafa de vinho, “a la Itália”) e fazer o corte.“Para cada corte, é importante a escolha de qual tipo de molho será usado. Molhos pesados não combinam muito bem com massas longas, uma vez que ela ficará apertada no fundo no prato e molho não irá se sobressair. Sugiro, para esse tipo de acompanhamento, cortes como o fusilli ou o penne”, explica Renata. “Se a massa escolhida for longa, opte por molhos a base de manteiga ou azeite”. Para cada meio quilo de massa devem ser utilizados, no mínimo, quatro litros de água.

“Não colocamos sal na hora do preparo da massa para não correr o risco de que ela fique muito salgada durante o cozimento”. Só coloque o macarrão para cozinhar quando a água estiver fervendo e preste bastante atenção ao tempo em que ela fica no fogo. O truque para não errar no ponto é experimentar logo após os primeiros cinco minutos de cozimento, para conferir se a receita já está pronta. “Assim como os risotos, as massas devem sair da panela direto para a mesa”.

Sabendo tudo isso, hora de escolher o molho perfeito. As indicações de Renata ficam por conta de três receitas interessantes: o nhoque de banana da terra, especial para veganos e intolerantes a glúten, já que não leva manteiga, ovos ou farinha; a massa como molho Caprese, fresca e leve ao combinar tomate e manjericão; e a opção Cacio e Pepe, ou seja, queijo e pimenta. Essa última carrega um sabor marcante do queijo pecorino e da pimenta do reino. Apesar dessas três escolhas deixarem o protagonismo por conta da massa, sem excesso de molho, as receitas da “nona” também têm sua vez. “As massas bolonhesas pedem muito molho e algumas pessoas chegam a comê-las de colher e ainda raspar o fundo do prato com pão, para aproveitar toda essa abundância”, conta a chef.

Seja qual for a sua preferência, o importante é deliciar com uma boa massa neste domingo.

 

Mariana Requena
[email protected]